Estados Unidos combatem incêndios florestais com mais fogo

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 28 de agosto de 2019 as 13:43, por: CdB

O presidente Donald Trump assinou um decreto para acelerar projetos para reduzir os “combustíveis perigosos”.

Por Redação, com Reuters – de Washington

Foi o tipo de incêndio que aterrorizou comunidades do oeste norte-americano assolado por secas em anos recentes: uma floresta de pinheiros em chamas nas montanhas do Novo México preenchendo o ar com fumaça espessa e aromática.

Arbustos queimam em incêndio controlado no Novo México

Exceto que o incêndio foi ateado deliberadamente por prisioneiros estaduais vestidos com roupas vermelhas anti-fogo, que espalharam uma mistura de gasolina e diesel ao redor de árvores e arbustos.

A queima controlada de baixa intensidade pretendia eliminar a vegetação rasteira e proteger a floresta nacional de Santa Fé, e vilarejos circundantes, de incêndios florestais futuros, que estão se tornando mais frequentes e graves no oeste por causa da mudança climática.

Após um século tentando extinguir incêndios em horas, é cada vez mais comum os administradores de florestas dos Estados Unidos os iniciarem ou deixarem incêndios naturais arderem para destruir o combustível que pode transformar um incêndio florestal em uma catástrofe que destrói bacias hidrográficas e lares.

Os níveis de umidade

Os níveis de umidade acima da média deste verão diminuíram o número de grandes incêndios florestais no país e possibilitaram mais incêndios controlados, que imitam ataques relâmpago.

– Aprendemos com nossos erros ao apagar incêndios, montando uma base de combustível contínua – disse James Casaus, autoridade do Serviço Florestal dos EUA (USFS) a cargo do incêndio controlado próximo das montanhas onde seu avô costumava queimar clareiras na floresta para melhorar o pasto de ovelhas.

A abordagem federal se tornou mais urgente depois que incêndios florestais consumiram mais de 4 milhões de hectares em 2015 e 2017, as taxas mais altas desde 1952, segundo dados do Centro Nacional Interagências de Combate a Incêndios. Ao mesmo tempo, os custos federais e estaduais de combate a incêndios mais que triplicou, ultrapassando US$ 4,5 bilhões na década encerrada em 2018.

O ponto de inflexão veio no ano passado, quando chamas engolfaram Paradise, na Califórnia, matando 86 pessoas no incêndio florestal mais mortífero já registrado pelo Estado, e o número de casas e estruturas destruídas em toda a nação mais do que dobrou em relação a 2017.

Trump

Em dezembro, o presidente Donald Trump assinou um decreto para acelerar projetos para reduzir os “combustíveis perigosos” através da poda de florestas, da queima e de um aumento de quase 20% na venda de madeira do USFS.

Em um comunicado por email, Vicki Christiansen, chefe do USFS, disse que o corte de árvores desempenha um papel no trabalho de redução de combustíveis, mas que a maior parte dele é realizado por outros meios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *