Estados Unidos dizem ao Irã que Covid-19 não poupará país de sanções

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 20 de março de 2020 as 12:54, por: CdB

Os Estados Unidos enviaram uma mensagem dura ao Irã nesta semana: a disseminação do coronavírus não poupará o país das sanções norte-americanas.

Por Redação, com Reuters – de Washington

Os Estados Unidos enviaram uma mensagem dura ao Irã nesta semana: a disseminação do coronavírus não poupará o país das sanções norte-americanas, que estrangulam as receitas de petróleo e isolam a economia da República Islâmica.

Bombeiros com roupa de proteção desinfectam ruas de Teerã
Bombeiros com roupa de proteção desinfectam ruas de Teerã

O Irã é a nação mais atingida pelo coronavírus no Oriente Médio, com 1.284 mortes confirmadas. Segundo o Ministério da Saúde iraniano, uma pessoa morre a cada 10 minutos e 50 se infectam a cada hora.

Os EUA, que argumentam que sua campanha de “pressão máxima” para deter as atividades nuclear, de mísseis e regionais do Irã não impede o fluxo de ajuda humanitária, impôs novas sanções nesta semana.

O governo Trump colocou em uma lista de sanções cinco empresas sediadas nos Emirados Árabes Unidos, três da China continental, três de Hong Kong e uma da África do Sul por causa do comércio de produtos petroquímicos iranianos.

“A pressão elevada de Washington contra o Irã é um crime contra a humanidade”, disse uma autoridade iraniana à agência inglesa de notícias Reuters. “Todos deveriam ajudar uns aos outros a vencer esta doença”.

Alguns analistas sugeriram que governo Trump deveria fazer mais para acelerar o fluxo de ajuda humanitária para o Irã, mas viram poucos indícios de que isso é iminente.

As sanções

– Nossa política de pressão máxima contra o regime continua – disse Brian Hook, representante especial de assuntos iranianos dos EUA, aos repórteres. “As sanções dos EUA não estão impedindo a entrada de ajuda no Irã”.

Na segunda-feira, a China pediu a Washington que alivie as sanções por motivos humanitários, mas autoridades norte-americanas, diplomatas estrangeiros e analistas não viram sinal disso.

Surto de vírus

– Embora o Irã seja um epicentro deste surto de vírus e enfrente uma verdadeira catástrofe econômica… não haverá alívio das sanções – disse Elizabeth Rosenberg, da instituição de pesquisas Centro para uma Nova Segurança Americana.

Hook disse que Washington enviou uma nota diplomática a Teerã oferecendo ajuda com o coronavírus, “e ela logo foi rejeitada”.

Ele ainda culpou a liderança iraniana por seus problemas com o coronavírus, dizendo que o país “gasta bilhões com terrorismo e guerras estrangeiras” e que, se gastasse um décimo disso “em um sistema de saúde melhor, o povo iraniano estaria em situação muito melhor”.

No que pode ser um aceno aos EUA, Teerã libertou o cidadão norte-americano Michael White, que estava sob custódia, mas ele deve permanecer no Irã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *