Etiópia e ONU firmam pacto de ajuda para área de Tigré atingida por guerra

Arquivado em: África, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 2 de dezembro de 2020 as 11:03, por: CdB

A Etiópia e a Organização das Nações Unidas (ONU) chegaram a um acordo nesta quarta-feira para canalizar uma ajuda humanitária desesperadoramente necessária para uma região do norte etíope onde um mês de guerra já matou, feriu ou expulsou um grande número de pessoas.

Por Redação, com Reuters – de Nairóbi

A Etiópia e a Organização das Nações Unidas (ONU) chegaram a um acordo nesta quarta-feira para canalizar uma ajuda humanitária desesperadoramente necessária para uma região do norte etíope onde um mês de guerra já matou, feriu ou expulsou um grande número de pessoas.

Etíopes fogem para o Sudão para escapar da guerra na região de Tigré, na Etiópia
Etíopes fogem para o Sudão para escapar da guerra na região de Tigré, na Etiópia

O pacto anunciado por autoridades da ONU permitirá que agentes humanitários tenham acesso a áreas controladas pelo governo em Tigré, onde tropas federais estão combatendo a Frente de Libertação do Povo do Tigré (TPLF) e capturaram a capital regional.

Acredita-se que a guerra já matou milhares, fez 45 mil refugiados fugirem para o Sudão, deslocou muitos mais dentro de Tigré e agravou o sofrimento em uma região na qual 600 mil pessoas já eram dependentes de auxílio alimentar mesmo antes da conflagração do conflito no dia 4 de novembro.

Agências humanitárias acionaram o alarme sobre uma crise humanitária crescente e vêm pressionando para ter acesso à área desde que centenas de agentes estrangeiros foram forçados a se retirar.

Refugiados

Teme-se que a comida esteja acabando para os 96 mil refugiados da Eritreia em Tigré, e no final de semana o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) disse que médicos na capital local Mekelle estão com falta de analgésicos, luvas e sacos para corpos.

“A ONU e o governo federal da Etiópia assinaram um acordo para que agentes humanitários tenham acesso desimpedido, contínuo e seguro para pessoal humanitário e serviços em áreas sob controle do governo federal na região de Tigré”, disse o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha) em um comunicado à agência inglesa de notícias Reuters.