EUA apoiam pedido de sanções da UE contra o Irã

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 10 de abril de 2018 as 13:19, por: CdB

O presidente dos EUA, Donald Trump, deu a seus aliados europeus prazo até 12 de maio para a reformulação de um acordo internacional firmado com Teerã em 2015 

Por Redação, com Reuters – de Londres:

Os Estados Unidos saudaram nesta terça-feira uma iniciativa de alguns Estados da União Europeia para impor novas sanções ao Irã e alertaram empresas que cogitam fazer negócios com a República Islâmica que podem estar financiando grupos militantes e provocando a instabilidade regional.

EUA apoiam pedido de sanções da UE contra o Irã e desestimulam comércio com país

O presidente dos EUA, Donald Trump, deu a seus aliados europeus prazo até 12 de maio; para a reformulação de um acordo internacional firmado com Teerã em 2015; que suspendeu sanções internacionais contra o regime em troca da imposição de limites ao seu programa nuclear.

Declarações

Em declarações feitas em Londres, no início de uma turnê de signatários europeus ligados ao acordo, Sigal Mandelker; subsecretária do Tesouro para Terrorismo e Inteligência Financeira dos EUA; disse que as sanções são parte importante de um esforço abrangente para conter a “atividade maligna” do Irã na região.

– Entendemos que a UE, isso foi noticiado na imprensa, está estudando novas sanções relacionadas ao Irã. Este é um passo bom e importante que apoiamos – disse ela aos repórteres antes de reuniões com autoridades britânicas.

No mês passado França, Reino Unido e Alemanha buscaram o apoio da UE para a aprovação de novas sanções; mas vêm tendo dificuldade para persuadir outros países-membros.

Sigal, que visitará Berlim e Paris durante seu giro de três dias, disse que Teerã está usando dinheiro para apoiar o Hezbollah; o Hamas e o presidente sírio, Bashar al-Assad, e que aqueles; que estão tentando fazer negócios com o Irã apesar das sanções se arriscam a custear indiretamente as atividades destes grupos no Oriente Médio.

– Dizemos que qualquer empresa pensando em fazer negócios com o Irã; ou com empresas iranianas enfrenta riscos sérios de estar fazendo negócios com aqueles que, como a Guarda Revolucionária (do Irã); apoiam o terrorismo e a instabilidade pelo mundo – afirmou.

Hassan Rouhani

Na segunda-feira o presidente iraniano, Hassan Rouhani, alertou que os EUA se arrependerão se desistirem do acordo nuclear; e que a reação de Teerã será mais forte do que se prevê.

O pacto firmado em 2015 entre o Irã e seis potências; França, Reino Unido, Alemanha, EUA, China e Rússia; suspendeu sanções que prejudicavam a economia iraniana dependente do petróleo em troca de restrições às suas atividades nucleares.

Mas Trump o vem criticando desde que tomou posse, e pediu a seus aliados europeus; que “consertem os defeitos terríveis” do pacto; ou então ele se recusará a prorrogar uma suspensão das sanções de seu país ao regime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *