EUA avaliam necessidade de criptomoeda e descartam uso de yuan digital de Pequim

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 29 de abril de 2021 as 13:19, por: CdB

O presidente do Sistema de Reserva Federal (Fed, na sigla em inglês) afirma que funcionamento do yuan digital da China não daria certo nos EUA e avalia a necessidade de criar uma criptomoeda do banco central devido à força do dólar norte-americano.

Por Redação, com Sputnik – de Washington

O presidente do Sistema de Reserva Federal (Fed, na sigla em inglês) afirma que funcionamento do yuan digital da China não daria certo nos EUA e avalia a necessidade de criar uma criptomoeda do banco central devido à força do dólar norte-americano.

EUA avaliam necessidade de criptomoeda do banco central e descartam uso de yuan digital da China

O Fed ainda está descobrindo o que deseja de uma criptomoeda do banco central, embora seja certo que o yuan digital da China não se encaixará nessa conta, disse o presidente Jerome Powell a repórteres em uma coletiva na quarta-feira.

– A moeda que está sendo usada na China não funcionaria aqui – disse Powell. “(Tem que ser) uma (moeda) que realmente permita o governo ver todos os pagamentos usados e em tempo real. Tem mais a ver com coisas que acontecem dentro de seu próprio sistema financeiro do que com a competição global.”

Os EUA gostariam de uma moeda digital que pudesse ser usada “para fazer negócios internacionais imediatamente”, confirmou Powell. Acrescentando que Washington está engajado em um programa sério para entender tanto a tecnologia quanto as questões políticas. O presidente do Fed destacou que o dólar é usado em transações em todo o mundo e que os EUA também têm contas de capital abertas. “Esses são os fatores que nos tornam uma moeda de reserva e temos que refleti-los”, ponderou.

Criptomoedas

A instituição e uma série de bancos centrais em todo o mundo estão trabalhando na pesquisa ou no lançamento de suas próprias moedas digitais, à medida que criptomoedas como o bitcoin ganham a atenção maciça de investidores. Até agora, a China vem deixando muitos outros governos para trás na experimentação de um yuan digital, que pode vir a ser a primeira criptomoeda soberana do mundo se for lançada.

Powell disse que o Fed está menos preocupado que alguém ou algum país possa ter uma moeda digital e mais preocupado com o que tal forma de pagamento significaria para os EUA. “É um conjunto complicado de questões que temos que navegar em um mundo onde já temos um sistema de pagamento altamente evoluído”, analisou.

Para a autoridade, em breve será normal em todos os cantos do planeta usar apenas telefone para fazer pagamentos imediatamente disponíveis. Por isso questiona “qual seria o papel da moeda digital de um banco central nesse tipo de ambiente”.

Garantindo não querer se apressar para chegar a conclusões sobre o avanço de outros países, Powell acredita que seja “muito mais importante acertar do que fazer rápido”.

A China anunciou recentemente a veículos de comunicação que usará o yuan digital para transações domésticas e o bitcoin para transações internacionais, tendo afirmado anteriormente que considera a famosa criptomoeda mais um ativo alternativo e uma forma de investimento.