EUA orientam cidadãos a não viajar para China devido a vírus

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 31 de janeiro de 2020 as 10:43, por: CdB

A OMS relatou pelo menos oito casos de transmissão de pessoas para pessoa em quatro países: Estados Unidos, Alemanha, Japão e Vietnã.

Por Redação, com Reuters – de Washington

Os Estados Unidos alertaram seus cidadãos a não viajar para a China, no momento em que o número de mortos por um novo coronavírus declarado como emergência de saúde global pela Organização Mundial da Saúde (OMS) chegou a 213, nesta sexta-feira.

Passageiros deixam aeroporto de Los Angeles após desembarcarem de voo proveninete de Xangai
Passageiros deixam aeroporto de Los Angeles após desembarcarem de voo proveninete de Xangai

As bolsas de valores ficaram estáveis pouco depois que a OMS elogiou os esforços da China para conter o vírus, após uma queda no dia anterior devido ao aumento no número de mortos na segunda maior economia do mundo.

“Não viajem para a China devido ao novo coronavírus identificado pela primeira vez em Wuhan”, disse o Departamento de Estado norte-americano em um novo comunicado de viagem em seu site, elevando o alerta para a China ao mesmo nível de Afeganistão e Iraque.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, afirmou ao Parlamento que seu governo decidiu elevar o nível de alerta sobre doenças infecciosas para a China, pedindo aos cidadãos que evitem viagens não urgentes.

O alerta do Japão

O alerta do Japão para a província central de Hubei, na China, onde o vírus surgiu pela primeira vez em dezembro, na capital Wuhan, é um nível mais alto, aconselhando os cidadãos a não viajarem para lá.

A China adotou “as medidas mais abrangentes e rigorosas de prevenção e controle”, disse uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores em resposta à declaração da OMS, embora Pequim não tenha comentado sobre o aviso de viagem dos EUA.

– Temos plena confiança e capacidade de vencer essa luta – declarou Hua Chunying em comunicado.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, elogiou a China por seus esforços e disse que a OMS não está recomendando restrições de viagens ou comércio com a gigante asiática.

Ele afirmou que a emergência global foi declarada devido ao perigo de o vírus se espalhar para países com sistemas de saúde fracos, acrescentando: “Precisamos agir agora”.

As autoridades de saúde chinesas disseram que o número de infecções aumentou para 9.692 até quinta-feira.

Não houve mortes fora da China, embora 131 casos tenham sido relatados em 23 outros países e regiões, sendo o mais recente no Reino Unido, onde as autoridades disseram que os dois casos eram na mesma família.

A OMS relatou pelo menos oito casos de transmissão de pessoas para pessoa em quatro países: Estados Unidos, Alemanha, Japão e Vietnã. A Tailândia disse nesta sexta-feira que também teve um caso de transmissão de humano para humano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *