EUA envia tropas extras com 60 mil soldados ao Golfo

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado terça-feira, 4 de março de 2003 as 09:38, por: CdB

Os Estados Unidos vão enviar mais 60 mil soldados ao Golfo Pérsico, de acordo com o Departamento de Defesa americano, que se prepara para uma possível guerra contra o Iraque.

Uma fonte do departamento disse que o secretário de Defesa, Donald Rumsfeld, autorizou o envio das tropas extras, mesmo com a previsão de que elas só devem chegar à região após a guerra ter começado.

A escalada militar foi anunciada um dia depois que os Estados Unidos e a Grã-Bretanha fizeram um ataque na zona de exclusão aérea no sul do Iraque, que, segundo autoridades iraquianas, deixou seis mortos.

Os novos planos vêm logo depois de o Iraque ter anunciado a destruição de 16 mísseis Al-Samoud II, que estavam proibidos pela ONU, nos últimos três dias.

Desarmamento

Numa entrevista exclusiva à BBC, que vai ao ar nesta terça-feira, Rumsfeld disse que não considera a destruição dos mísseis como um sinal de que o processo de inspeção de armas está forçando o presidente do Iraque, Saddam Hussein, a desarmar o país.

Rumsfeld acrescentou que o Iraque é perfeitamente capaz de produzir novas armas de destruição em massa enquanto os inspetores da ONU ainda estão no país.

O secretário de Defesa tem um encontro marcado com o general Tommy Franks, que será o comandante das tropas americanas em caso de invasão ao Iraque.

Eles vão discutir estratégias alternativas, depois que o parlamento da Turquia não aprovou um pedido dos Estados Unidos para que tropas americanas pudessem usar o território turco como base para uma invasão ao vizinho Iraque.

O Parlamento turco deveria pôr o pedido em votação novamente nesta terça-feira, mas uma nova sessão para discutir o assunto foi adiada indefinidamente.

Os Estados Unidos sugeriram que o empréstimo de US$ 15 bilhões (cerca de R$ 52,5 bilhões), que tinha sido acertado em troca do acesso ao território turco, não será mais feito – uma preocupação que levou a bolsa de valores turca a cair na segunda-feira.

Plano B

Especialistas da área militar dizem que os Estados Unidos não desistiram de ver a Turquia mudar de idéia, mas têm um “plano B” que envolveria o deslocamento de tropas, por avião, diretamente para o norte do Iraque.

O general James L. Jones, comandante das forças americanas na Europa, admitiu na segunda-feira que a decisão da Turquia reduziu as opções de seu país, mas acrescentou: “Não acredito que isso será um obstáculo”.

Segundo analistas, a recusa turca em liberar acesso a seu território pode atrasar o início da guerra em uma ou duas semanas – até o fim de março ou o começo de abril.

Numa outra ação, no campo diplomático, o ministro do Exterior russo, Igor Ivanov, chega a Londres nesta terça-feira para reuniões que devem ser dominadas pelo assunto da guerra.

A Rússia se opõe fortemente à proposta de nova resolução do Conselho de Segurança da ONU, apresentada por Estados Unidos, Grã-Bretanha e Espanha, que sugere que a ação militar como o caminho para desarmar o Iraque.

Esta terça-feira é feriado no Iraque, e não deve haver mais progresso na destruição de armas.