EUA estariam criando força-tarefa para responder a suposto ciberataque de Pequim

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado domingo, 7 de março de 2021 as 11:35, por: CdB

 

Funcionários anônimos disseram à mídia que diversas agências, incluindo a CIA, estão criando uma força-tarefa conjunta para avaliar o efeito do recente ataque à Microsoft e contrariar futuros ciberataques contra os EUA.

Por Redação, com Sputnik – de Washington

Funcionários anônimos disseram à mídia que diversas agências, incluindo a CIA, estão criando uma força-tarefa conjunta para avaliar o efeito do recente ataque à Microsoft e contrariar futuros ciberataques contra os EUA.

EUA estariam criando força-tarefa para responder a suposto ciberataque da China

A administração Biden está formando uma força-tarefa para lidar com o recente ataque de hackers à Microsoft, que afetou cerca de 30 mil clientes nos EUA e outros 250 mil em todo o mundo, comunicou neste domingo a emissora CNN citando um funcionário anônimo dos EUA.

A fonte alegou que a Casa Branca está empreendendo “toda uma resposta do governo para enfrentar e avaliar o impacto” do ciberataque, que a Microsoft alega ter sido conduzido por hackers chineses.

– A Agência de Segurança e Cibersegurança de Infraestrutura (CISA, na sigla em inglês) emitiu uma diretiva de emergência para as agências e agora estamos trabalhando com nossos parceiros e analisando de perto os próximos passos que precisamos dar – revelou o funcionário, mencionando também o envolvimento do Grupo de Coordenação Unificado (UCG, na sigla em inglês), lançado pelo Conselho Nacional de Segurança, o Departamento Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês), e outras organizações.

Operadores de rede

– Esta é uma ameaça ativa, ainda em desenvolvimento, e pedimos aos operadores de rede que a levem muito a sério – afirmou.

Outra fonte anônima teria dito à CNN que a Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) também tem um papel na resposta ao ciberataque, observando que o evento “tem o potencial de afetar simultaneamente organizações que são críticas para a vida cotidiana nos EUA”.

Na última terça-feira a Microsoft acusou um grupo de hackers baseado na China, conhecido como Hafnium, de atacar seu aplicativo de e-mail Exchange Server. Ainda não houve nenhuma declaração oficial sobre o assunto por parte de Pequim.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code