EUA sancionam pessoas e empresas acusadas de ajudar Pyongyang a evitar sanções

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 31 de agosto de 2019 as 13:03, por: CdB

As sanções miram uma rede de navios que o Departamento do Tesouro diz que se envolveu em transferências de petróleo entre embarcações com a Coreia do Norte.

Por Redação, com Reuters – de Washington

Os Estados Unidos impuseram sanções sobre duas pessoas e três empresas e identificaram um navio bloqueado, acusando-os de ajudar a Coreia do Norte a escapar de sanções, afirmou o Departamento do Tesouro na sexta-feira.

EUA sancionam pessoas e empresas acusadas de ajudar Coreia do Norte a evitar sanções

As sanções miram uma rede de navios que o Departamento do Tesouro diz que se envolveu em transferências de petróleo entre embarcações com a Coreia do Norte, no que seria uma tentativa de ajudar Pyongyang a contornar sanções impostas pelas Nações Unidas.

O Departamento do Tesouro diz que dois indivíduos de Taiwan utilizaram a embarcação, que antes havia realizado ao menos duas transferências de navio para navio com embarcações sob bandeira da Coreia do Norte, para transportar 1,7 milhão de litros de produtos de petróleo para um navio com bandeira da Coreia do Norte.

As duas pessoas tinham participação nas três empresas alvo das sanções, segundo o Departamento do Tesouro. Duas das empresas têm sede em Taiwan, enquanto a terceira é localizada em Hong Kong.

ONU

O Ministério de Relações Exteriores de Taiwan disse neste sábado que o caso está sob investigação. Em comunicado, pediu que cidadãos e companhias não se envolvam em atividades comerciais que violem resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Embora o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tenha afirmado em público que tem um bom relacionamento com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, os EUA apreenderam um navio norte-coreano mais cedo neste ano, que segundo o governo norte-americano estava envolvido em embarques ilegais de carvão, em violação às sanções da ONU.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *