Europa executaria sozinha imposto sobre serviços digitais se EUA e parceiros não cooperarem

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 9 de março de 2021 as 13:36, por: CdB

 

Os países da União Europeia (UE) estariam frustrados com o lento progresso nas negociações internacionais com seus parceiros, incluindo os EUA, e pretendem decidir a taxação dos impostos de forma individual.

Por Redação, com Sputnik – de Bruxelas

Os países da União Europeia (UE) estariam frustrados com o lento progresso nas negociações internacionais com seus parceiros, incluindo os EUA, e pretendem decidir a taxação dos impostos de forma individual.

UE executaria sozinha imposto sobre serviços digitais se EUA e parceiros não cooperarem

Líderes da União Europeia se encontram prontos para executarem impostos sobre serviços digitais unilaterais relacionados a grandes empresas de tecnologia se não chegarem a um acordo de estrutura global com seus parceiros, incluindo os EUA, até meados deste ano, de acordo com a Bloomberg.

Os países da UE estariam frustrados com o lento progresso nas negociações internacionais sobre regras de tributação de lucros, e implementaram ou planejaram de forma individual impostos sobre a receita de empresas como Facebook Inc. e Alphabet Inc.’s Google nas jurisdições onde operam, segundo a mídia.

Durante uma cúpula no final deste mês, os líderes vão “enfatizar a necessidade de abordar urgentemente os desafios fiscais decorrentes da digitalização da economia para garantir justiça e eficácia”, de acordo com um rascunho de um comunicado conjunto visto pela Bloomberg.

O braço executivo da UE deve apresentar seus planos para um imposto digital já no próximo mês, com os rendimentos indo para o orçamento do bloco, incluindo reembolsos da dívida conjunta emitida para financiar o plano de recuperação econômica da covid-19.

Esforços anteriores

Esforços anteriores para chegar a um consenso sobre taxas semelhantes falharam, pois a integração do bloco pede que a unanimidade entre todos os 27 Estados-membros seja respeitada. Alguns países têm insistido que primeiro deveria ser concedido mais tempo para as negociações globais sobre regras tributárias na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Em uma cúpula por vídeo em fevereiro, a secretária do Tesouro norte-americano, Janet Yellen, disse a seus colegas em uma reunião de autoridades financeiras que os EUA não estão mais insistindo em uma regra de porto seguro que permitiria às empresas norte-americanas optarem por não participar de novos regras fiscais, segundo a mídia.

Apesar da decisão do governo Biden, ainda há um longo caminho a percorrer para se chegar a um acordo global sobre como tributar os gigantes globais de tecnologia. Além da questão do porto seguro, os EUA e a Europa há muito discutem sobre o escopo de quaisquer novas regras e como elas devem ser aplicadas, o que exige tempo.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code