Evo Morales retorna à Bolívia um ano após renúncia da presidência

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 9 de novembro de 2020 as 14:14, por: CdB

O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, retornou nesta segunda-feira a seu país ao cruzar a fronteira com a Argentina, após despedir-se do presidente argentino Alberto Fernández. Morales cruzou a pé a fronteira entre a cidade argentina de La Quiaca, na província de Jujuy, e a boliviana Villazón, e agradeceu ao presidente argentino.

Por Redação, com Sputnik – de La Paz

O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, retornou nesta segunda-feira a seu país ao cruzar a fronteira com a Argentina, após despedir-se do presidente argentino Alberto Fernández.

Ex-presidente Evo Morales retorna à Bolívia
Ex-presidente Evo Morales retorna à Bolívia

Morales cruzou a pé a fronteira entre a cidade argentina de La Quiaca, na província de Jujuy, e a boliviana Villazón, e agradeceu ao presidente argentino.

– Muito obrigado por me acompanhar Alberto, por garantir minha segurança, jamais me esquecerei que você salvou a minha vida – assinalou Morales antes de atravessar a passagem internacional Horacio Guzmán.

Território argentino

A última refeição em La Quiaca, território argentino, foi memorável pelo afeto, mais uma vez, de Alberto Fernández e suas agradáveis ​​impressões sobre a posse de Luis Arce e as demonstrações de agradecimento que recebeu, em La Paz, por seu compromisso com a democracia e sua solidariedade.

Está previsto que Morales realize uma viagem de mais de 1.000 quilômetros por terra em uma caravana que partirá da fronteira com a Argentina e passará por diversas localidades onde o ex-chefe de Estado ainda é muito popular.

Feito histórico. O abraço de Alberto Fernández e Evo Morales na ponte internacional de La Quiaca, em Jujuy. O retorno do ex-presidente boliviano.

No domingo, o presidente eleito Luis Arce tomou posse do cargo na Bolívia, um ano depois que as Forças Armadas do país andino pediram publicamente a renúncia do então presidente Evo Morales.