Ex-jogador colombiano diz que traficante se ofereceu para assassinar Chilavert

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 13 de novembro de 2019 as 12:16, por: CdB

O ex-jogador colombiano Faustino Asprilla revelou que um traficante de drogas lhe propôs assassinar o então goleiro paraguaio José Luis Chilavert, em 1997.

Por Redação, com Reuters – de Bogotá

O ex-jogador colombiano Faustino Asprilla revelou que um traficante de drogas lhe propôs assassinar o então goleiro paraguaio José Luis Chilavert, em 1997, depois de uma partida na qual os dois trocaram agressões e foram expulsos, mas disse que impediu o crime para não macular o futebol de seu país.

Ex-jogador colombiano Faustino Asprilla concede entrevista em Cali
Ex-jogador colombiano Faustino Asprilla concede entrevista em Cali

O fato ocorreu após partida pelas eliminatórias da Copa do Mundo da França de 1998, disputada no estádio Defensores del Chaco, em Assunção, no qual a Colômbia perdeu por 2 a 1 e Chilavert e Asprilla foram expulsos por se agredirem.

– Recebi um telefonema no hotel e me disseram ‘sou Julio Fierro, pode vir ao meu hotel’. Cheguei nesse dia e ele estava com umas dez pessoas, bêbados, estavam com mulheres paraguaias – relatou Asprilla em um documentário sobre sua vida transmitido pelo canal Telepacífico.

– É que precisamos que você dê uma autorização, estes dois caras vão ficar aqui em Assunção e querem ir matar esse gordo do Chilavert – contou o ex-jogador, que brilhou com a seleção colombiana.

Crime

Asprilla, que recentemente completou 50 anos, disse que se opôs à intenção de Fierro, que acabou sendo assassinado na Colômbia em 2004, aparentemente em meio a um ajuste de contas entre narcotraficantes, segundo fontes de segurança.

– Eu lhe disse ‘como assim? Mas vocês por acaso estão loucos? Vão acabar com o futebol colombiano, isso não pode ser, não, não, não. No futebol o que aconteceu no campo fica no campo. Chilavert me deu um soco, tivemos a discussão, nos expulsaram e acabou’ – disse ele, ao afirmar que os pistoleiros insistiam que Fierro ordenasse o assassinato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *