Ex-secretário da ONU morre aos 100 anos

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 5 de março de 2020 as 13:51, por: CdB

 Pérez de Cuéllar chefiou a ONU duas vezes entre 1982 e 1991, período em que alguns dos anos mais gelados da Guerra Fria deram lugar ao fim da União Soviética e esforços maiores de cooperação internacional.

Por Redação, com Reuters – de Lima

Javier Pérez de Cuéllar, diplomata peruano e ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) que desempenhou um papel crucial no encerramento da guerra Irã-Iraque de 1980-1988, morreu na quarta-feira em sua casa de Lima, com 100 anos.

Ex-secretário-geral da ONU Pérez de Cuéllar
Ex-secretário-geral da ONU Pérez de Cuéllar

Pérez de Cuéllar chefiou a ONU duas vezes entre 1982 e 1991, período em que alguns dos anos mais gelados da Guerra Fria deram lugar ao fim da União Soviética e esforços maiores de cooperação internacional.

Ele foi o quinto chefe do organismo mundial e seu único líder latino-americano até hoje.

António Guterres

O atual secretário-geral da ONU, António Guterres, louvou a atuação de Pérez de Cuéllar para garantir a libertação de reféns norte-americanos no Líbano, além de acordos de paz no Camboja e El Salvador durante seu tempo no cargo.

– Ele era um estadista consumado, um diplomata comprometido e uma inspiração pessoal que deixou um impacto profundo nas Nações Unidas e em nosso mundo – disse Guterres.

Certa vez, Pérez de Cuéllar disse que as conquistas de que mais se orgulhava foram seu papel na conquista da independência da Namíbia e o acordo de paz que encerrou o conflito Irã-Iraque, mas seus esforços diplomáticos não bastaram para impedir a irrupção da Guerra do Golfo de 1990.

Peru

Após deixar a ONU, Pérez de Cuéllar tentou conquistar a presidência do Peru sem sucesso em 1995, perdendo para o então presidente Alberto Fujimori.

Ele atuou como primeiro-ministro de um governo de união nacional durante cerca de oito meses depois que o governo Fujimori desmoronou sob um escândalo de corrupção no final de 2000.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *