Exame do Enem é realizado, em todo o país, com raras exceções

Arquivado em: Destaque do Dia, Educação, Últimas Notícias
Publicado domingo, 17 de janeiro de 2021 as 16:08, por: CdB

O Ministério da Educação (MEC) pretende tornar o Enem 100% digital até 2026. Devido à pandemia da covid-19, algumas precauções adicionais devem ser tomadas pelos candidatos que farão as provas presenciais.

Por Redação – de Brasília

Um número aproximado de 5,6 milhões de pessoas se inscreveram na versão impressa do exame, que teve neste domingo sua primeira etapa, apesar das inúmeras ações legais que tentaram impedir a realização das provas de Linguagens, Ciências Humanas e Redação, com uma duração de cinco horas e 30 minutos. O segundo dia das provas está marcado para o próximo domingo. Um pequeno número de estudantes poderá realizar o exame em versão digital, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Alunos se concentram, pouco antes das provas da Fuvest, no Estado de São Paulo

O Ministério da Educação (MEC) pretende tornar o Enem 100% digital até 2026. Devido à pandemia da covid-19, algumas precauções adicionais devem ser tomadas pelos candidatos que farão as provas presenciais.

Diferentemente das edições anteriores, os portões foram abertos mais cedo, às 11h30, para evitar a aglomeração de pessoas. Além disso, o uso de máscara de proteção facial foi obrigatório a todos os participantes e acompanhantes de mães que estiverem amamentando.

Casos de covid

O Amazonas teve a aplicação da prova do Enem suspensa pela Justiça Federal, enquanto durar o estado de calamidade pública decretado pelo poder executivo estadual devido ao surto de casos da covid-19.

Na sexta-feira, a Defensoria Pública da União pediu à Justiça o adiamento da aplicação do exame sob o argumento de que não há forma segura de realizar as provas em meio ao aumento de casos da covid-19. Entidades ligadas ao setor educacional, como a Une, enviaram uma carta ao ministro da Educação, Milton Ribeiro, pedindo a mudança da data.

Muitos alunos também pediram a remarcação da prova, alegando riscos desnecessários e falta de segurança sanitária. A decisão da Justiça, no entanto, considera que as medidas anunciadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), organizador da prova, garantirão a segurança dos candidatos.

Internet

Além disso, o instituto informou que estudantes que estiverem contaminados com coronavírus poderão realizar o exame em fevereiro. O posicionamento foi apresentado na sexta-feira (8) por meio da Advocacia Geral da União à Justiça Federal.

O Inep também anunciou que, nos municípios em que as autoridades decidirem adiar o Enem, a prova será aplicada nos dias 23 e 24 de fevereiro.

Além do medo da covid-19, os candidatos do Enem enfrentam questões psicológicas e dificuldades de acesso à Internet em um ano marcado pelo isolamento social e pelo ensino remoto.