Exército sem combustível para desmobilizar os caminhoneiros

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 25 de maio de 2018 as 15:58, por: CdB

Nesta tarde, o presidente de facto, Michel Temer (MDB), decidiu usar o Exército para desobstruir rodovias. A maior parte delas, obstruída por caminhoneiros.

 

Por Redação – de Brasília

 

Surpreendido pela eficácia dos caminhoneiros em paralisar o país, Forças Armadas tentam se mobilizar. Não têm, no entanto, combustível suficiente para atuar em todos os bloqueios nas estradas brasileiras, segundo afirmou fonte à reportagem do Correio do Brasil. Na maioria dos quartéis do país, os militares foram convocados a se apresentar, nesta tarde; após o anúncio de uso da Força Militar para o desbloqueio de estradas na greve dos caminhoneiros.

A convocação se chama “Plano de Chamado” e se trata de um procedimento padrão; de acordo com o tenente-coronel Eduardo José Lopes Gonçalo, da 11ª 11ª Brigada de Infantaria Leve (BIL), de Campinas, na Grande São Paulo.

— Baseado no pronunciamento do presidente (de facto) da República, foi dada uma ordem para todo o Exército realizar o Plano de Chamado; que é chamar a tropa para todas as unidades para futura ordens. Então, isso está realmente ocorrendo — disse o militar, a jornalistas.

Os caminhoneiros bloquearam as principais estradas do país
Os caminhoneiros bloquearam as principais estradas do país. Muitos pediram por ‘intervenção militar’. Foram atendidos

Nesta tarde, o presidente de facto, Michel Temer (MDB), decidiu usar o Exército para desobstruir rodovias. As vias públicas têm sido alvo de bloqueios realizados por caminhoneiros que protestam contra a alta do diesel
.
A decisão foi tomada em uma reunião no Palácio do Planalto da qual participam Temer e ministros; no quinto dia de paralisação dos caminhoneiros, em todo o país. O acordo firmado na véspera entre representantes patronais e o governo não foi cumprido.

‘Coragem’

Segundo a fonte; além do Exército, a Polícia Rodoviária Federal e as Polícias Militares dos Estados também tentarão atuar no desbloqueio; onde for necessário. Mesmo nestas corporações, a questão do combustível para mobilização das tropas segue em dúvida.

— Vamos iniciar o plano de segurança. Acionei as forças federais de seguranças para desbloquear as estradas — disse Temer.

Em pronunciamento no Palácio do Planalto, o emedebista disse que o governo atendeu a 12 reivindicações de representantes dos caminhoneiros; na véspera. Em troca, foi prometida a suspensão da greve por 15 dias. Temer acrescentou que o melhor caminho é o cumprimento deste acordo. E que o governo terá coragem de usar sua autoridade em favor do povo.

A paralisação dos caminhoneiros, que protestam desde segunda-feira contra a alta no preço do óleo diesel; tem levado ao desabastecimento em várias cidades do país. E afetado a produção em diversos setores da economia.

Diesel congelado

Postos ficaram sem combustíveis. O fato, portanto, fez com que o tráfego em grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro, fosse reduzido significativamente no horário de pico; da manhã desta sexta.

Os protestos permaneceram ao longo do dia; mesmo após o governo federal e representantes da categoria anunciarem na noite passada; após sete horas de reunião, um acordo que previa o congelamento do preço do diesel. O combustível permanecerá nos mesmos níveis anunciados pela Petrobras, nesta semana; por 30 dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *