Exército sírio começa a libertar centro do país dos militantes

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 4 de maio de 2018 as 14:51, por: CdB

Quando os terroristas perceberam que suas chances eram zero e que qualquer resistência era inútil, eles concordaram com os termos propostos

Por Redação, com Sputnik – de Beirute:

Unidades do Exército Árabe Sírio estão se preparando para uma operação em larga escala para libertar a parte sul da província de Hama e a parte norte da província de Homs, após a recusa do acordo de paz proposto pelo governo sírio.

Unidades do Exército Árabe Sírio estão se preparando para uma operação em larga escala

A agência de notícias Al-Masdar News relata com referência à fonte no comando do exército sírio.

Um especialista estratégico militar sírio, o brigadeiro-general Heitham Hassun disse à agência russa de notícias Sputnik; que “a libertação desta região do país será uma grande vitória decisiva sobre os terroristas; porque esta é a última grande consolidação de militantes na Síria”.

Além disso, ele afirma que “isto irá bloquear as rotas logísticas dos militantes através do centro do país; que permanecerá para libertar as áreas ocupadas por militantes no norte; sul e na província de Idlib”.

Quanto à estratégia que será usada, o general pensa que “a experiência na região de Qalamun Oriental será usada aqui; quando os militantes largaram as armas após um aviso severo.

Os terroristas

Quando os terroristas perceberam que suas chances eram zero e que qualquer resistência era inútil, eles concordaram com os termos propostos. Se esse cenário não for realizado, o exército derrotará os oponentes à força, como aconteceu em Ghouta Oriental.

Os terroristas podem ser cercados por todos os quatro lados e gradualmente expulsos de todos os pontos urbanos. Isso não demora nada, mas devido às dificuldades de uma luta em bairros residenciais, esse cenário será usado como último recurso”, disse o general militar Heitham Hassun.

Ataque químico

Os especialistas da OPAQ finalizaram a investigação do suposto ataque químico que ocorreu em 7 de abril na cidade síria de Douma na Síria; afirma o Ministério da Defesa da Rússia.

– Na cidade síria de Douma, os especialistas da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ, na sigla em inglês); finalizaram seus trabalhos dedicados à verificação de informações sobre o suposto ataque químico realizado em 7 de abril pelas tropas governamentais – declarou o representante especial do ministério russo, Igor Konashenkov.

Atualmente, a Rússia “está esperando os resultados obtidos pela comissão da OPAQ”, frisou.

Ao mesmo tempo, ele assegurou que os militares russos fizeram todo o possível para garantir imunidade e integridade; a todas as coisas e territórios na cidade de Douma, alegadamente atingida pelo ataque químico. Tais ações foram tomadas para fazer com; que a OPAQ possa efetuar seu trabalho sem nenhum obstáculo, sublinhou.

Dessa maneira, a Rússia permitiu aos especialistas internacionais o acesso total e seguro de todos os lugares; onde efetuaram a investigação e interrogaram as testemunhas.

Além disso, ele destacou que às vezes militares russos exerceram “essa tarefa” arriscando suas vidas.

A tensão em torno da Síria aumentou após um suposto ataque com armas químicas em Douma em 7 de abril.

O especulado ataque levou os Estados Unidos, França e Reino Unido a disparar mais de 100 mísseis; contra os chamados locais de armas químicas do governo sírio. Já o governo de Bashar Assad negou o uso de substâncias perigosas contra civis.

Moscou e Damasco refutaram as acusações, dizendo que o ataque químico foi encenado e condenaram os ataques ocidentais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *