Exército venezuelano detém quartelada de oficiais rebeldes

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 21 de janeiro de 2019 as 13:27, por: CdB

O comunicado destaca que se trata de uma ação de “delinquentes”, que já foram rendidos e presos. “A Força Armada Nacional Bolivariana rechaça esse tipo de atos, que são motivados pelos interesses obscuros da extrema-direita”.

Por Redação, com agências de notícias internacionais – de Caracas

As forças armadas venezuelanas emitiram um comunicado informando que na madrugada desta segunda-feira, um reduzido grupo armado de um quartel da Guarda Nacional Venezuelana no município de Petare, Estado de Sucre, assaltou um depósito de armas e sequestrou dois oficiais; o episódio é o primeiro reflexo do chamado que o presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, fez por uma ação golpista, prometendo anistiar os militares que promovessem um golpe contra o governo do presidente constitucional Nicolás Maduro.

Exército venezuelano contém ameaça de golpe contra Maduro

O comunicado destaca que se trata de uma ação de “delinquentes”, que já foram rendidos e presos. “A Força Armada Nacional Bolivariana rechaça esse tipo de atos, que são motivados pelos interesses obscuros da extrema-direita”. Destaca ainda que as instituições estão funcionando normalmente, e as forças armadas seguem com “irrestrito apego á Constituição”.

Mais cedo à agência inglesa de notícias Reuters tinha noticiado que o terceiro sargento Wandres Figueroa lançou um manifesto dizendo que a Guarda Nacional se opõe ao “regime, o qual desconhecemos completamente” e pede o apoio dos demais membros da corporação e do povo para que saiam às ruas”.

O político opositor Julio Borges disse em uma postagem no Twitter que “o mesmo descontentamento e desejo de mudança que motivou a revolta da Guarda Nacional existe dentro de toda a Força Armada Nacional Bolivariana”.

A ex-procuradora-geral Luisa Ortega, por sua vez, escreveu na rede social que “a valentia destes homens da Guarda Nacional nos demonstra que há dignidade e vontade nos quartéis para sair da tirania”.

O ministro da Defesa do país, Vladimir Padrino López, afirmou que será aplicado todo o peso da lei contra os militares rebeldes que tentaram controlar um comando em Caracas.

– Quem insulta suas armas com vícios infames será castigado com todo o peso da lei – escreveu López no Twitter.Além disso, o exército da Venezuela declarou que deteve integrantes da Guarda Nacional que roubaram armas e sequestraram oficiais.

O Ministério da Defesa bolivariano sublinhou que todas as suas instalações estão funcionando normalmente depois da tentativa fracassada de uma rebelião realizada por um grupo de militares movidos por “interesses obscuros da extrema direita”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *