Exxon e Microsoft firmam acordo de computação em nuvem para xisto dos EUA

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019 as 12:24, por: CdB

A tecnologia permitirá que vazamentos em equipamentos sejam imediatamente detectados para reduzir os tempos de reparo em locais remotos e aplicar inteligência artificial para analisar dados de perfuração, disse a Exxon.

Por Redação, com Reuters – de Washington/Berlim

A Exxon Mobil e a Microsoft concordaram em utilizar a tecnologia de nuvem em operações de xisto do produtor de petróleo dos EUA, disseram na sexta-feira, ajudando a aumentar a rentabilidade no maior campo de xisto da nação.

A tecnologia permitirá que vazamentos em equipamentos sejam imediatamente detectados

As empresas coletarão dados dos poços e outros ativos de produção da Exxon na Bacia Permiana, no oeste do Texas e no Novo México, onde a maior empresa de óleo e gás de capital aberto do mundo possui 1,6 milhão de acres, tornando-a imediatamente acessível aos trabalhadores da Exxon.

O valor do contrato não foi divulgado. Mas a parceria é a maior do setor em computação em nuvem, disse a Exxon em um comunicado.

A tecnologia permitirá que vazamentos em equipamentos sejam imediatamente detectados para reduzir os tempos de reparo em locais remotos e aplicar inteligência artificial para analisar dados de perfuração, disse a Exxon.

A Exxon se comprometeu a aumentar sua produção na Bacia Permiana para 600 mil barris de óleo equivalente por dia até 2025. A produção da companhia na Bacia Permiana no quarto trimestre foi de 300 mil barris de petróleo por dia, um aumento de 93 % em relação ao ano passado.

A Bacia Permiana, que produz cerca de 3,85 milhões de barris por dia, deve gerar 5,4 milhões até 2023, maior do que qualquer outro membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, exceto a Arábia Saudita, segundo a consultoria IHS Markit.

Em janeiro, na Consumer Electronics Show, em Las Vegas, a Exxon anunciou um acordo com a IBM para explorar o potencial da computação quântica em energia e manufatura.

Daimler e BMW

As montadoras de automóveis alemãs Daimler e BMW anunciaram nesta sexta-feira uma joint venture de transporte compartilhado, estacionamento e carregamento de carros elétricos para competir com os serviços de mobilidade oferecidos pela Uber e outras empresas de tecnologia.

As empresas de carros de luxo disseram que investiriam mais de 1 bilhão de euros para expandir a joint venture, mudando a produção e as vendas de automóveis para sistemas de pagamento por minuto ou de pagamento por milha.

A consultoria PwC disse que as montadoras enfrentam a marginalização de empresas de tecnologia com recursos financeiros a menos que desenvolvam serviços baseados no uso de veículos.

Empresas de transporte compartilhado já estabelecidas estão se expandindo. A Didi Chuxing, da China, pretende construir seu negócio na América Latina e a Uber está ganhando espaço no mercado norte-americano.

– A cooperação adicional com outros provedores, incluindo participações em startups e participantes estabelecidos, também é uma opção possível – disse o presidente-executivo da Daimler, Dieter Zetsche.

O empreendimento tem cinco vertentes: REACH NOW, um serviço de gerenciamento e reserva de rotas para smartphones, CHARGE NOW para recarga de carros elétricos, FREE NOW para andar de táxi, PARK NOW para serviços de estacionamento e SHARE NOW para compartilhar carros.

A BMW e a Daimler estão trabalhando para desenvolver carros autônomos, veículos que poderiam capacitá-los a mudar o mercado de serviços de táxi e de caronas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *