Facebook reserva US$ 100 milhões para apoiar mídia prejudicada por crise de coronavírus

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 30 de março de 2020 as 13:42, por: CdB

O Facebook prometeu nesta segunda-feira US$ 100 milhões em financiamento e publicidade para apoiar veículos jornalísticos, incluindo publicações locais nos Estados Unidos, que estão sofrendo com a pressão causada pela pandemia de coronavírus.

Por Redação, com Reuters – de Bangalore/Washington 

O Facebook prometeu nesta segunda-feira US$ 100 milhões em financiamento e publicidade para apoiar veículos jornalísticos, incluindo publicações locais nos Estados Unidos, que estão sofrendo com a pressão causada pela pandemia de coronavírus.

A rede social disse que a primeira rodada de suas doações foi para 50 redações locais nos Estados Unidos e no Canadá
A rede social disse que a primeira rodada de suas doações foi para 50 redações locais nos Estados Unidos e no Canadá

Publicações de notícias, especialmente mídia impressa, foram impactadas conforme muitos anunciantes cortaram seus orçamentos de marketing para reduzir custos diante da incerteza relacionada a vírus.

A doação do Facebook inclui US$ 25 milhões em financiamento emergencial para a mídia local e US$ 75 milhões em gastos com marketing para publicações de notícias em todo o mundo, afirmou o documento.

Doações

A rede social disse que a primeira rodada de suas doações foi para 50 redações locais nos Estados Unidos e no Canadá.

Na sexta-feira, a Alphabet, controladora do Google, disse que doará mais de US$ 800 milhões em fundos e créditos de anúncios para empresas, o governo e organizações de saúde.

Apple e Casa Branca

A Apple e a Casa Branca disseram na sexta-feira que a fabricante do iPhone trabalhou com o governo e agências federais para lançar um aplicativo e um site que irão mostrar para usuários a orientação do Centro de Controle de Doenças (CDC) sobre a doença causada pelo coronavírus.

O aplicativo, que estará disponível na loja de aplicativos com o nome “Covid-19”, fará perguntas aos usuários sobre sintomas, localização e fatores de risco e fornecerá as orientações apropriadas do CDC, disseram autoridades da Casa Branca.

O aplicativo também responderá a perguntas frequentes sobre a doença com informações oficiais do CDC. As mesmas informações estarão disponíveis em um website acessível aos usuários de computadores com Windows, telefones Android e outros dispositivos que não sejam da Apple.

A Apple disse que não coletará as respostas dos usuários e que elas não serão enviadas à Apple ou a qualquer entidade governamental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *