Facebook e Twitter bloqueiam contas de Trump após invasão do Capitólio

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 7 de janeiro de 2021 as 10:44, por: CdB

Twitter, Facebook e Snap bloquearam temporariamente as contas do presidente dos EUA, Donald Trump, na quarta-feira, em medida das gigantes de tecnologia para reprimir suas alegações infundadas sobre a eleição presidencial em meio a tumultos na capital do país.

Por Redação, com Reuters – de Washington

Twitter, Facebook e Snap bloquearam temporariamente as contas do presidente dos EUA, Donald Trump, na quarta-feira, em medida das gigantes de tecnologia para reprimir suas alegações infundadas sobre a eleição presidencial em meio a tumultos na capital do país.

Apoiadores de Trump em protesto no Congresso, em Washington
Apoiadores de Trump em protesto no Congresso, em Washington

O Twitter ocultou e determinou a remoção de três tuítes de Trump “como resultado da situação violenta sem precedentes em Washington, DC”, depois que manifestantes pró-Trump invadiram o Capitólio dos EUA em uma tentativa de forçar o Congresso a obstruir a certificação do presidente eleito Joe Biden.

Pelo menos quatro pessoas morreram no caos do Capitólio, incluindo uma mulher que foi baleada dentro do prédio.

Por meses, o presidente e seus aliados fizeram alegações infundadas de fraude eleitoral, impulsionando a organização do protesto.

Trump disse em um tuíte na quarta-feira, depois retirado do ar pelo Twitter, que o ataque ao prédio foi uma resposta natural. Ele também culpou o vice-presidente Mike Pence por falta de “coragem” para prosseguir com as alegações de fraude eleitoral.

Eleição presidencial

O Twitter bloqueou a conta de Trump até 12 horas depois de ele excluir os tuítes e um vídeo no qual ele alegou que a eleição presidencial foi fraudulenta e pediu aos manifestantes que voltassem para casa. Se os tuítes não fossem excluídos, a conta permaneceria bloqueada.

O Facebook e o YouTube, pertencentes ao Google, também removeram o vídeo. Mais tarde, o Facebook afirmou que bloquearia a página de Trump para postagem por 24 horas.

A empresa disse que vai proibir convocações para levar armas para locais em todo o país e remover qualquer apoio para os eventos no Capitólio. Um porta-voz da Casa Branca não respondeu a um pedido de comentário.

A retórica violenta e os conselhos sobre armamentos aumentaram significativamente nas últimas três semanas nas plataformas de mídia social, conforme grupos planejavam os atos, incluindo nacionalistas brancos e entusiastas da teoria da conspiração QAnon, de acordo com pesquisadores e publicações públicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code