Fifa paga quase US$ 3 milhões para clubes brasileiros por Copa do Mundo

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 4 de dezembro de 2018 as 14:17, por: CdB

De acordo com a Fifa, o montante total representa um aumento de quase 200% com relação a Copa de 2014, disputada no Brasil. Ao todo, o dinheiro será destinado a clubes de 63 diferentes países.

Por Redação, com EFE – de Zurique/Paris

A Fifa divulgou nesta terça-feira que os 416 clubes que cederam jogadores para a disputa da Copa do Mundo receberão US$ 209 milhões (R$ 800 milhões), sendo que pouco mais de US$ 2,75 milhões (R$ 10,5 milhões) serão destinados a brasileiros, com o Corinthians obtendo o maior valor.

A Fifa divulgou nesta terça-feira que os 416 clubes que cederam jogadores para a disputa da Copa do Mundo receberão US$ 209 milhões

O time paulista, que teve o goleiro Cássio e o lateral-direito Fagner na seleção brasileira, ganhará, segundo a federação internacional, US$ 645,2 mil (R$ 2,46 milhões), através da CBF, que é intermediária da transferência.

Na sequência, aparecem Flamengo e Palmeiras, integrando o ‘top-3’. Cruzeiro, Grêmio, Vasco, São Paulo e Sport Recife completam a relação de contemplados (confira a lista no fim do texto).

De acordo com a Fifa, o montante total representa um aumento de quase 200% com relação a Copa de 2014, disputada no Brasil. Ao todo, o dinheiro será destinado a clubes de 63 diferentes países.

O Manchester City, da Inglaterra, receberá o maior montante, de pouco mais de US$ 5 milhões (R$ 19,1 milhões), seguido por Real Madrid e Barcelona, ambos da Espanha, com US$ 4,81 milhões (R$ 18,42 milhões) e US$ 4,14 milhões (R$ 15,87 milhões), respectivamente.

Bola de Ouro

O meia Luka Modric destacou que a conquista da tradicional Bola de Ouro, concedida pela revista “France Football”, representa um prêmio a sua carreira como um todo e a realização de um sonho que tinha quando era criança.

– Cada troféu é muito importante e especial. Prefiro os títulos coletivos, mas quando se ganha algo assim, é para encher de orgulho e ficar feliz porque outros reconheram o seu trabalho e o seu desempenho no ano – afirmou o jogador do Real Madrid e da seleção croata após a entrega do prêmio.

– Até agora diziam que Kaká era o último a ganhar antes de Messi e Cristiano Ronaldo, e agora dirão que eu interrompi (a alternância de conquistas do argentino e do português) – lembrou.

Ex-pastor de ovelhas na infância na Croácia, Modric ressaltou que o prêmio é uma vitória para sua carreira no futebol.

– Não foi só pelo trabalho deste ano, que foi espetacular, é por toda a minha trajetória, por tudo o que consegui e pelo nível que estou mostrando nos últimos anos. No futebol, a regularidade é importante, e nos últimos anos fui constante – disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *