Fim de semana pode ter boicote às teles com desligamento de celulares

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 4 de julho de 2003 as 15:22, por: CdB

Ao longo dessa semana, milhares de internautas de norte a sul do país receberam em suas caixas postais o “protesto nacional contra o aumento das tarifas telefônicas”.

Conforme o Correio do Brasil noticiou na terça-feira, o protesto convoca as pessoas que têm telefone celular a desligarem seus aparelhos neste fim de semana, 05 e 06 de julho, numa “greve” contra o salgado reajuste autorizado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que pode chegar a 41,75% na conta de luz do consumidor. O texto pede também que os consumidores usem seus telefones fixos apenas em casos de emergência.

O “caladão” – como vem sendo chamado, numa referência ao “apagão” de 2002 – ganhou adesão de gente como o deputado federal Chico Alencar (PT-RJ), que apoiou publicamente o boicote na Comissão de Defesa do Consumidor, e vem divulgando a ação em plenário.

O assunto foi tema também da coluna da última quarta-feira do jornalista Zuenir Ventura, no jornal O Globo. Zuenir considera que o protesto pode se transformar em um ato de desobediência civil.

– Será o consumidor brasileiro capaz de organizar-se e unir-se em movimentos solidários e coletivos para defender seus interesses? Mesmo sabendo que a melhor rebelião contra o consumo é o não-consumo, quantos deixam de comprar um produto como protesto? – questiona Zuenir.

Zuenir enumera momentos de conquista onde a participação e mobilização popular foram determinantes, como “as Diretas Já, o Plano Cruzado, o impeachment de Collor, a implantação do Código de Trânsito e o próprio racionamento”. Mas lembra:

– Tudo que seja intenso e emocionante, mas contanto que passageiro. Temos muita paciência e pouquíssima persistência. A nossa dificuldade parece ser transformar indignação em ação. Demora muito.

Como é habitual em correntes desse tipo, o protesto não vem assinado. Não se sabe de onde partiu. Mas é rico em jargões próprios desse tipo de iniciativa, como “utilize a internet em defesa de sua cidadania” e “o benefício será de todos”.

O texto cita experiências semelhantes em países como Estados Unidos e Argentina que conseguiram o resultado esperado, como a queda no preço das taxas de provedores de internet ou a própria redução das tarifas telefônicas.

Resta esperar o fim de semana para avaliar o alcance e a eficácia do “caladão”. Computadores do Brasil inteiro já tinham baixado a mensagem quando começaram a surgir liminares suspendendo o reajuste nas tarifas telefônicas.

Mas desde já a corrente deixa agendado um novo protesto, este para o dia 10 de julho, e específico para os telefones fixos. O autor pede que os usuários retirem seus telefones do gancho entre 12 horas e 14 horas.