Finlândia e Suécia são oficialmente convidadas a aderir à Otan

Arquivado em: América do Norte, Europa, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 29 de junho de 2022 as 11:04, por: CdB

A Otan enfatizou que a segurança dos países nórdicos era de “importância direta para a aliança, inclusive durante o processo de adesão”, e caracterizou o convite como uma reafirmação de seu compromisso da “Política de Portas Abertas” de seus membros.

Por Redação, com Sputnik – de Bruxelas

O convite teria sido realizado possivelmente após o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, retirar sua objeção aos países nórdicos.

Nesta quarta-feira, a Otan convidou formalmente a Finlândia e a Suécia a aderirem à aliança durante a cúpula de Madri.

Nesta quarta-feira, a Otan convidou formalmente a Finlândia e a Suécia a aderirem à aliança

“Hoje, decidimos convidar a Finlândia e a Suécia a aderirem à Otan e concordamos em assinar os Protocolos de Adesão. Em qualquer adesão à Otan, é de fundamental importância que as preocupações legítimas de segurança de todos os aliados sejam devidamente abordadas. Parabenizamos a conclusão do memorando trilateral entre Turquia, Finlândia e Suécia para esse efeito”, declarou o bloco.

A Otan enfatizou que a segurança dos países nórdicos era de “importância direta para a aliança, inclusive durante o processo de adesão”, e caracterizou o convite como uma reafirmação de seu compromisso da “Política de Portas Abertas” de seus membros.

A declaração da aliança ainda diz que a ação “aquece” a participação do presidente ucraniano, Vladmir Zelensky, na cúpula, e que a Otan é totalmente “solidária” à Ucrânia, reforçando mais uma vez seu apoio incondicional para manter o conflito.

“Decidimos tomar novas medidas para intensificar o apoio político e prático personalizado aos nossos aliados, incluindo a Bósnia e Herzegovina, Geórgia e Moldávia. Trabalharemos com eles para construir uma integridade e resiliência, bem como desenvolver capacidades e defender sua independência política”, comunicou.

Anteriormente, a Turquia bloqueou o início do processo, e o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, informou reiteradas vezes que Ancara não poderia dizer “sim” às adesões da Finlândia e da Suécia por não poder acreditar nas garantias delas sobre as relações com representantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, na sigla em curdo), proibido na Turquia.

Contudo, na terça-feira, Turquia, Suécia, Finlândia e a Otan assinaram um memorando trilateral com 10 pontos, apoiando a adesão dos países nórdicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code