Fiscalização interdita casas noturnas durante fim de semana em São Paulo

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, São Paulo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 17 de agosto de 2020 as 15:04, por: CdB

As equipes das regionais fiscalizam diariamente os estabelecimentos que excedem o horário permitido pela legislação municipal e se estão disponibilizando mesas nas calçadas, com apoio da Guarda Civil Metropolitana e da Polícia Militar.

Por Redação, com ABr – de São Paulo

Durante o último final de semana, a fiscalização da prefeitura de São Paulo, interditou 48 bares e restaurantes, sendo 9 na última sexta-feira: 1 no Ipiranga, 1 em São Miguel Paulista, 1 na Sé, 4 em Santana/Tucuruvi, 1 na Mooca e 1 em Pirituba/Jaraguá; 23 no sábado; 5 em Guaianases, 1 em Itaquera, 2 em Sapopemba, 3 em Santana/Tucuruvi, 1 na Sé, 3 na Mooca, 1 em Pinheiros, 6 em Pirituba/Jaraguá e 1 no Jaçanã/Tremembé; e por fim 6 interdições no domingo, sendo 2 em Pirituba/Jaraguá, 2 em Santo Amaro, 1 em Sapopemba e 1 em Guaianases.  A informação é da Secretaria Municipal das Subprefeituras.

O valor da multa é de R$ 9.231,65, aplicada a cada 250m²
O valor da multa é de R$ 9.231,65, aplicada a cada 250m²

Segundo informou a assessoria de imprensa da pasta, desde o início da quarentena, os agentes têm trabalhado na fiscalização e 1.003 estabelecimentos foram interditados por descumprirem as regras vigentes, destes, 602 são bares, restaurantes, lanchonetes e cafeterias. O valor da multa é de R$ 9.231,65, aplicada a cada 250m². Os estabelecimentos devem solicitar a desinterdição na subprefeitura da região.

As equipes das regionais fiscalizam diariamente os estabelecimentos que excedem o horário permitido pela legislação municipal e se estão disponibilizando mesas nas calçadas, com apoio da Guarda Civil Metropolitana e da Polícia Militar.

Fase amarela

A capital paulista está na fase 3 – amarela do Plano São Paulo, que permite o funcionamento de bares e restaurantes até as 22h, limitada à capacidade de 40%, com horário reduzido (abertos no máximo 6 horas por dia) e adoção de protocolos gerais e setoriais específicos.