Forças Armadas participam de operação em comunidade do Rio

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 18 de janeiro de 2018 as 12:06, por: CdB

Um dos objetivos da ação é prender Wendel Luís Silvestre, principal suspeito de ter matado o delegado da Polícia Civil Fábio Monteiro na semana passada

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

As Forças Armadas participaram nesta quinta-feira de uma operação conjunta com a Polícia Federal e as polícias estaduais na comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio de Janeiro. As ações também estão sendo feitas nas favelas de Manguinhos, Mandela e Arará, vizinhas ao Jacarezinho.

Forças Armadas participam de operação em favelas do Rio

Os militares estão baseadas em pontos estratégicos fazendo um cerco à região, enquanto os políciais civis, militares e federais fazem as buscas e cumprem os mandados de prisão no interior das comunidades.

Um dos objetivos da ação é prender Wendel Luís Silvestre, principal suspeito de ter matado o delegado da Polícia Civil Fábio Monteiro na semana passada. Também estão sendo procurados outros criminosos com mandados de prisão em aberto.

O delegado passava de carro pelas proximidades do Jacarezinho quando foi abordado e morto por criminosos na última sexta-feira. Seu corpo foi encontrado no porta-malas de um carro perto da comunidade.

Mortes violentas

O Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgou nesta quinta-feira que os casos de letalidade violenta (soma de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e homicídio decorrente de oposição à intervenção policial, no Rio de Janeiro, tiveram aumento de 7,5%, em 2017, em relação a 2016, passando de 6.262 para 6.731.

Em dezembro do ano passado, foram registradas 66 vítimas a menos de mortes violentas no Estado; uma queda de 10,9% em relação ao mesmo mês de 2016. Segundo o ISP, as maiores reduções ocorreram em Irajá, Vicente de Carvalho, Vila Kosmos, Colégio; Vila da Penha, Vista Alegre, Anchieta, Guadalupe, Parque Anchieta, Ricardo de Albuquerque, Acari, Barros Filho, Costa Barros, Parque Colúmbia, Pavuna, Campo dos Afonsos, Deodoro, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Realengo, Vila Militar, Bangu, Gericinó, Padre Miguel e Senador Camará.

Roubos e apreensão de fuzis

Outro crime que também cresceu no Estado do Rio em 2017 foi o roubo de veículo, com alta de 30,4%. No ano passado, foram roubados 54.367 ante 41.696 no ano anterior. O roubo de carga teve aumento de 7,3%, passando de 9.874 casos em 2016 para 10.599 em 2017.

Os roubos de rua (soma de roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em coletivo) tiveram queda de 1,1% no ano passado. Foram 127.098 casos em 2016 e 125.698 no ano passado.

O levantamento também verificou que em 2017 foram apreendidos 499 fuzis no Estado; o maior número registrado em toda a série histórica do Instituto de Segurança Pública, que teve início em 2007. Foram 130 fuzis a mais em relação ao ano de 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *