Forças Armadas voltam mais uma vez à Vila Kennedy

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 8 de março de 2018 as 12:09, por: CdB

A ação envolve cerco, estabilização dinâmica da área, retirada de barricadas e reforço no patrulhamento ostensivo. A Polícia Civil também poderá cumprir eventualmente mandados de prisão

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

As Forças Armadas voltaram nesta quinta-feira à Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, com 1.400 homens. Os militares vêm realizando operações rotineiras na favela desde o dia 23 de fevereiro.

As Forças Armadas voltaram nesta quinta-feira à Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio de Janeiro

A ação envolve cerco, estabilização dinâmica da área, retirada de barricadas e reforço no patrulhamento ostensivo. A Polícia Civil também poderá cumprir eventualmente mandados de prisão.

Os militares contam com o apoio de veículos blindados, aeronaves e equipamentos pesados de engenharia. Algumas ruas e acessos nessas áreas poderão ser interditados; e setores do espaço aéreo poderão ser controlados com restrições dinâmicas para aeronaves civis. Não há interferência nas operações dos aeroportos.

Sistema prisional do Rio

O procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem; prometeu uma devassa no sistema prisional do estado. Ele fez o anúncio na quarta-feira;  durante coletiva no Ministério Público (MP); sobre a descoberta de seis celas finamente decoradas, destinadas a visitas íntimas no Presídio José Frederico Marques; em Benfica, onde ficam os presos da Lava Jato.

– As questões ligadas à Benfica, as questões ligadas à administração penitenciária, são muito mais complexas do; que essas que eventualmente pareçam. Estamos; em conjunto com o secretário (de Administração Penitenciária) David Anthony; fazendo uma devassa nos contratos relativos à Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). O que era para ser exceção, virou regra, 75% dos contratos são renovados sem licitação ou com compras diretas. São questões graves, que não se atém somente a possíveis benefícios e regalias nas unidades prisionais –  disse Gussem.

Os quartos para visitas íntimas em Benfica, unidade onde já esteve preso o ex-governador Sérgio Cabral; atualmente em prisão federal em Curitiba; chamaram a atenção do MP durante inspeção feita em fevereiro, após denúncia anônima de que haveria um “motelzinho” no local; segundo informou a promotora Andrea Amin. A decoração dos quartos incluía piso em porcelanato branco, colchão de molas, coração pintado na parede rosa e até televisão.

– Encontramos no quarto andar esse parlatório, que não era do nosso conhecimento. Fica numa área que estava sempre em obras, era sempre fechado. O informe anônimo era de; que seria um espaço utilizado por presos, indevidamente. Nós não estamos limitando a nossa atuação à lâmpada vermelha; coração na parede ou cama de colchão box e tevê. Isso é um ponto, um dado. As investigações não se limitam a um espaço para visitas íntimas – ressaltou Amin.

David Antony

O secretário David Antony, que tomou posse recentemente, revelou que 27 presos tinham autorização legal para usar os quartos de visitas íntimas; sendo dois da Lava Jato. Ele disse que não teme tomar medidas duras para sanear o sistema.

– Fizemos uma varredura em todas as celas e encontramos muito material. Com o pessoal da Lava Jato; foi encontrado R$ 10 mil. Essa missão é um desafio, encaro como uma oportunidade profissional. Eu me vejo preparado para enfrentar essa missão. Tenho mais de 20 anos de polícia – disse Anthony.

O procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, disse que o ex-secretário da Seap coronel Erir Ribeiro será chamado a dar esclarecimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *