Fórum Mundial da Água acumula 15 mil sugestões de debate

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Meio Ambiente, Últimas Notícias
Publicado sábado, 17 de fevereiro de 2018 as 12:36, por: CdB

Além dos 1,3 mil palestrantes, das autoridades de 110 países e dos 5 mil inscritos para o evento, cerca de 40 mil pessoas de dezenas de países enviaram contribuições aos organizadores e 15 mil sugestões foram apresentadas por meio da ferramenta Sua Voz

Por Redação, com ABr – de Brasília:

Faltando 30 dias para a abertura do 8º Fórum Mundial da Água, evento que, em março, transformará Brasília no centro dos debates sobre recursos hídricos do planeta, a participação da sociedade já é grande. Além dos 1,3 mil palestrantes, das autoridades de 110 países e dos 5 mil inscritos para o evento, cerca de 40 mil pessoas de dezenas de países enviaram contribuições aos organizadores e 15 mil sugestões foram apresentadas por meio da ferramenta Sua Voz, disponível no site do evento.

Faltando 30 dias para a abertura do 8º Fórum Mundial da Água, evento que, em março, transformará Brasília no centro dos debates

O interesse da sociedade em debater o tema é resultado da importância que a questão da água vem ganhando no mundo. Em entrevista exclusiva à Agência Brasil, o diretor de Operações do Fórum, Rodrigo Cordeiro; disse que, a partir das crises hídricas que têm ocorrido com frequência no Brasil e em outras partes do mundo; houve uma tomada de consciência maior tanto das autoridades quanto dos consumidores. “A questão da água entrou na pauta da sociedade”, afirmou.

Além disso, organizações não governamentais (ONGs); e a sociedade organizada também se mobilizam para participar do Fórum Mundial. Segundo a coordenadora do projeto Observando os Rios, da Fundação SOS Mata Atlântica, Romilda Roncatti; em mensagem no Facebook do Fórum, estão mobilizados mais de 50 voluntários de 17 Estados para participar do 8º Fórum Mundial da Água; dispostos a mostrar os resultados desse trabalho.

Montagem da estrutura

Com o tema Compartilhando Água, o 8º Fórum Mundial ocorrerá de 18 a 23 de março em dois espaços. O Centro de Convenções Ulysses Guimarães será palco dos debates; das palestras e das sessões temáticas. Enquanto isso, o Estádio Nacional Mané Garrincha abrigará a Expo (restrita aos participantes do fórum); a Feira e a Vila Cidadã (aberta ao público em geral).

A montagem dos espaços está adiantada. Na área do Estádio Mané Garrincha, trabalham 100 pessoas desde o dia 5 deste mês, entre montadores, produtores, arquitetos e assessores. Em apenas 10 dias, dos 38 mil metros quadrados (m2) do espaço, quase a metade do piso (16,5 mil m2), e 3 mil m2 da cobertura metálica estão prontos. A previsão é que a montagem seja concluída até 5 de março. No Centro de Convenções, a implantação da estrutura começa no próximo dia 26.

Espaços do Fórum

A Vila Cidadã, uma das grandes atrações do fórum, terá atividades interativas voltadas para a construção de diálogos com a sociedade, com exposições lúdicas repletas de tecnologia, palestras, cinema e apresentações artísticas. É um espaço aberto a todos que quiserem participar e incentivar debates voltados para aumentar o uso consciente da água.

Na Feira do Fórum, o acesso também é livre ao grande público e instituições apresentarão o que pensam e fazem em prol da água. É uma vitrine para produtos, serviços e soluções entre empresas públicas e privadas, consumidores, organizações não governamentais, sociedade e interessados no tema.

Já a Expo, com acesso exclusivo aos inscritos no fórum; será um local para países e organizações mostrarem produtos e serviços para outras empresas; governos, países, Estados, municípios e universidades.

Serviço

A Vila Cidadã e a Feira funcionarão a partir do dia 17 de março; um dia antes da abertura oficial do evento, sempre das 9h às 22h. Por meio do site do evento – www.worldwaterforum8.org – é possível baixar no celular o aplicativo Water Forum 8, conhecer a programação e fazer a inscrição; além de acessar outras informações do evento.

O Fórum Mundial da Água é organizado pelo Conselho Mundial da Água (WWC); pelo governo federal; com o Ministério do Meio Ambiente e a Agência Nacional das Águas (ANA); e pelo governo do Distrito Federal, pela Agência Reguladora de Águas e Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *