França obrigará uso de máscaras em locais públicos fechados

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 14 de julho de 2020 as 12:14, por: CdB

Nas próximas semanas, a França tornará o uso de máscaras obrigatório em lojas e outros locais públicos fechados para deter o ressurgimento de um surto de covid-19, anunciou o presidente Emmanuel Macron nesta terça-feira.

Por Redação, com Reuters – de Paris

Nas próximas semanas, a França tornará o uso de máscaras obrigatório em lojas e outros locais públicos fechados para deter o ressurgimento de um surto de covid-19, anunciou o presidente Emmanuel Macron nesta terça-feira.

Presidente da França, Emmanuel Macron, em Paris
Presidente da França, Emmanuel Macron, em Paris

O vírus, que já matou mais de 30 mil pessoas no país, está em declínio, mas Macron disse que ele está se disseminando novamente em alguns lugares agora que a França está abrindo praias, bares e restaurantes depois de um isolamento de dois meses.

– Temos alguns sinais de que ele está voltando um pouco – disse Macron em uma entrevista concedida a emissoras francesas. “Diante disso, precisamos nos antecipar e preparar.”

– Quero que nós, nas próximas semanas, tornemos o uso de máscaras obrigatório em locais públicos fechados.

– Peço aos colegas cidadãos que usem máscaras tanto quanto possível quando saírem, e especialmente quando estiverem em um local fechado – afirmou.

Até agora, a França tem pedido que as pessoas usem coberturas faciais no transporte público e em espaços públicos onde o distanciamento social é impossível, mas não exigia o uso de máscara em lojas.

Coronavírus

Macron, que falava no feriado nacional do Dia da Bastilha, também disse que quer exames de detecção de covid-19 disponíveis para todos, sem que tenham que ser encaminhados por um médico.

O maior desafio que o país enfrentou nos últimos seis meses foi uma onda de desemprego, já esperada devido às demissões realizadas por empresas atingidas pela epidemia.

Ele ainda disse que está trabalhando com o governo para amenizar esse impacto, especialmente em jovens que estão integrando a força de trabalho no verão atual depois de concluírem os estudos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *