Se fugir para os EUA, Moro poderá ser extraditado de volta ao Brasil, afirma jurista

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sábado, 24 de abril de 2021 as 22:43, por: CdB

Em julgamento nesta quinta-feira, o STF confirmou a decisão anteriormente proferida pela Segunda Turma da Corte no sentido de declarar a suspeição de Moro nos processos contra Lula. O Supremo também decidiu que os processos contra o ex-presidente devem tramitar no Judiciário de Brasília.

Por Redação – de Brasília

Caso o ex-juiz Sérgio Moro se mudar para os EUA e, assim, fugir das consequências relativas ao julgamento de sua parcialidade no julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), conforme decidiu o Supremo Tribunal Federal (STF), ele poderá ser extraditado para responder aos processos, no Brasil. A previsão é do coordenador do Grupo Prerrogativas, o advogado Marco Aurélio de Carvalho.

Moro se despediu dos jornalistas sem responder às perguntas sobre o relatório do Coaf
Moro teria intenção de se mudar para os EUA, após ser julgado parcial no julgamento do ex-presidente Lula

Carvalho afirmou a jornalistas que poderá ser feito um pedido de extradição de Sérgio Moro, caso o ex-magistrado confirme sua mudança para os Estados Unidos.

— Se isso acontecer, vamos ter de pedir a extradição no Brasil pelos crimes que ele cometeu contra a democracia e contra o sistema de justiça brasileiro. Ele precisa responder pela violação do nosso Sistema de Justiça e pelos crimes que cometeu contra a soberania nacional — afirmou Carvalho.

Direitos políticos

Em julgamento nesta quinta-feira, o STF confirmou a decisão anteriormente proferida pela Segunda Turma da Corte no sentido de declarar a suspeição de Moro nos processos contra Lula. O Supremo também decidiu que os processos contra o ex-presidente devem tramitar no Judiciário de Brasília (DF) e não no de Curitiba (PR).

A Corte já havia anulado, no dia 15 deste mês, as condenações de Lula, que teve seus direitos políticos devolvidos e está apto para, eventualmente, disputar a eleição presidencial de 2022.