Furacão Iota deixa rastro de destruição no Caribe

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de novembro de 2020 as 11:58, por: CdB

O furacão Iota, de 210 quilômetros por hora de velocidade, foi ao encontro da Nicarágua depois de devastar ilhas colombianas. Segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, “ondas de tempestade, ventos de intensidade catastrófica, inundações e deslizamentos são esperados nas regiões da América Central”.

Por Redação, com Sputnik – de Bilwi, Nicarágua

O furacão Iota, de 210 quilômetros por hora de velocidade, foi ao encontro da Nicarágua depois de devastar ilhas colombianas.

Segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, “ondas de tempestade, ventos de intensidade catastrófica, inundações e deslizamentos são esperados nas regiões da América Central”.

Barcos destruídos pelo furacão Iota em Bilwi, Nicarágua
Barcos destruídos pelo furacão Iota em Bilwi, Nicarágua

Iota se tornou o 13º furacão atlântico a ser nomeado nesta estação. A temporada de furacões no Atlântico deve terminar no fim de novembro.

O furacão Iota ganhou a nona letra do alfabeto grego no nome. Meteorologistas usam letras gregas quando acabam os nomes regulares, estabelecidos anualmente pela Organização Meteorológica Mundial. Na lista há 21 nomes.

Ilhas do departamento colombiano

O poderoso furacão Iota, de categoria 5, devastou as ilhas do departamento colombiano de San Andrés e Providencia, no Caribe, onde deixou pelo menos um morto, informou o presidente Iván Duque na segunda-feira.

Em discurso, o presidente colombiano explicou que a ilha de Providencia sofreu um grave impacto em sua infraestrutura, em quase 98% de seu território. A fim de ajudar as autoridades e a população local, o governo deverá enviar uma embarcação com ajuda humanitária a partir de Cartagena das Índias para o arquipélago.

De acordo com o governador do departamento, Everth Hawkins Sjogreen, o arquipélago se encontra sem energia elétrica.

O arquipélago está sem energia elétrica, providencia sem comunicação total, sem VHF marítimo, celular, telefones por satélite e suportando o crescente poder e força do furacão, que já é categoria 5.

Fontes afirmam que a ilha de San Andrés ficou completamente inundada com a passagem do Iota, deixando as pessoas presas em suas casas por 24 horas. Após o rastro de devastação que deixou no departamento colombiano, o furacão seguiu em direção à Nicarágua.