Garotinho e Rosinha são presos por suspeita de propina no Rio

Arquivado em: Manchete, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 3 de setembro de 2019 as 10:06, por: CdB

O casal e outras três pessoas são suspeitos de participação em um esquema de superfaturamento em contratos.

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro

Os ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho foram presos nesta terça-feira. O casal e outras três pessoas são suspeitos de participação em um esquema de superfaturamento em contratos celebrados entre a Prefeitura de Campos e a construtora Odebrecht.

Ex-governadores do RJ Garotinho e Rosinha

O casal foi preso em casa, no Rio de Janeiro, pela Polícia Civil, e levado para prestar depoimento na Cidade da Polícia.

Garotinho chegou a ser candidato ao governo Fluminense no ano passado, mas teve a candidatura barrada pelas autoridades eleitorais. Ele já foi preso e solto em outras oportunidades por diferentes acusações.

Dessa vez, a denúncia aceita pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Campos dos Goytacazes apura superfaturamento em contratos celebrados entre a prefeitura da cidade e a Odebrecht para a construção de casas populares durante os dois mandatos de Rosinha como prefeita de Campos (2009/2016).

Contratos

“Os bastidores dos contratos celebrados entre o município de Campos e a Odebrecht foram revelados após declarações prestadas ao Ministério Público Federal por dois executivos da empresa… por ocasião da formalização de acordo de colaboração, dentro da operação Lava Jato. A partir das informações prestadas, verificou-se que os procedimentos licitatórios para a construção das moradias foram flagrantemente direcionados para que a Odebrecht se sagrasse vencedora” disse o Ministério Público do Rio de Janeiro em nota.

“Somadas, as licitações ultrapassaram o valor de R$ 1 bilhão custeados pelos cofres públicos municipais, sendo certo que as contratações foram superfaturadas e permeadas pelo pagamento sistemático de quantias ilícitas, em espécie, em favor dos ex-governadores”, acrescentou o MPRJ.

A Odebrecht não respondeu de imediato a um pedido de comentário sobre a operação. Quando citada em outras operações deflagradas com base em acordos de colaboração firmados por ex-executivos, a empresa afirma que tem “colaborado de forma permanente e eficaz com as autoridades, em busca do pleno esclarecimento de fatos narrados por ex-executivos da empresa”.

A defesa de Garotinho e Rosinha não tinha um comentário de imediato sobre a prisão.

Governador do Rio

Garotinho foi governador do RJ de 1999 a 2002, quando deixou o cargo para disputar a eleição presidencial daquele ano. Rosinha foi governadora de 2003 a 2007.

Com as prisões de Garotinho e Rosinha, agora são quatro ex-governadores do RJ presos no momento. Além do casal, também estão presos os ex-governadores Luiz Fernando Pezão e Sérgio Cabral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *