General perde a cabeça, xinga o Congresso e quer ‘o povo na rua’

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020 as 13:55, por: CdB

Em um áudio vazado durante a cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio da Alvorada, nesta quarta-feira, Heleno afirmou que “não podemos aceitar esses caras (deputados e senadores)”.

 

Por Redação – de Brasília

Ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) , o general Augusto Heleno perdeu a calma e quer que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “convoque o povo às ruas” contra o Congresso. Segundo o militar, o acordo feito pelo também general e ministro da Secretaria de Governo, Eduardo Ramos, que permite que os parlamentares controlem parte do orçamento impositivo, não passa de uma “chantagem” dos políticos, que deve ser rejeitada.

General Heleno diz que o governo é ‘chantageado’ pelo Congresso e quer que Bolsonaro tome providências enérgicas

Em um áudio vazado durante a cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio da Alvorada, nesta quarta-feira, Heleno afirmou que “não podemos aceitar esses caras (deputados e senadores) chantagearem a gente o tempo todo. F…-se”.

Veto

O acordo costurado de dentro do próprio governo prevê que o Parlamento tenha o direito de indicar a ordem da execução das emendas no Orçamento de 2020, mas Jair Bolsonaro vetou o projeto. Nas negociações, o veto presidencial seria derrubado mas, em troca, gestores do Executivo que descumprissem prazos de execução das emendas não seriam punidos.

O ministro Ramos anunciou o acordo junto com os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). A proposta também prevê o envio pelo Executivo de um projeto de lei alterando o Orçamento para tornar R$ 10,5 bilhões que estavam carimbados como “emenda do relator” em verbas disponíveis aos ministérios.

Dessa forma, restarão R$ 31 bilhões em emendas parlamentares, se o veto cair. Caberia ao Ministério da Economia enviar este projeto, o que ainda não aconteceu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *