Ghosn deve deixar a prisão e diz em comunicado que é inocente

Arquivado em: Comércio, Destaque do Dia, Indústria, Mundo, Serviços, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 5 de março de 2019 as 15:15, por: CdB

O Tribunal Distrital de Tóquio, que mais cedo concedeu a fiança a Ghosn, disse nesta terça-feira que rejeitou uma apelação dos promotores. A decisão representa uma vitória para a equipe legal de Ghosn em seu terceiro pedido de fiança.

 

Por Redação, com agências internacionais – de Tóquio

 

Um tribunal do Japão rejeitou a tentativa de promotores de manter na prisão o ex-presidente da Nissan Motor, Carlos Ghosn, ao determinar que o executivo pode ser liberado com o pagamento de uma fiança de US$ 8,9 milhões após mais de 100 dias preso.

Carlos Ghosn era um dos executivos mais respeitados do mundo
Carlos Ghosn era um dos executivos mais respeitados do mundo

O Tribunal Distrital de Tóquio, que mais cedo concedeu a fiança a Ghosn, disse nesta terça-feira que rejeitou uma apelação dos promotores que buscavam mantê-lo preso até seu julgamento por improbidade financeira.

A decisão representa uma vitória para a equipe legal de Ghosn em seu terceiro pedido de fiança. Ele deve deixar o centro de detenção em Tóquio, onde esteve pelos últimos três meses, na quarta-feira. O tribunal aceitou as garantias dos advogados de defesa de que Ghosn se submeteria a uma vigilância intensa.

Irregularidade

A soltura permitirá que Ghosn —arquiteto da parceria da Nissan com a francesa Renault— se reúna com seus advogados frequentemente e prepare uma defesa antes do julgamento. Ele é acusado de quebra de confiança agravada e de ter informado valores inferiores aos da compensação de US$ 82 milhões recebida da Nissan durante quase uma década.

Se for condenado por todas as acusações, ele pode passar até uma década na prisão. O ex-presidente da Nissan, Renault e Mitsubishi Motors negou qualquer irregularidade. Carlos Ghosn afirmou que é inocente e que vai se empenhar em combater as acusações “sem mérito e infundadas” contra ele, de acordo com comunicado divulgado antes de sua esperada libertação da prisão após pagamento de fiança.

“Estou extremamente grato à minha família e amigos que ficaram ao meu lado durante essa provação terrível”, disse Ghosn no comunicado. “Sou inocente e totalmente empenhado em me defender com vigor em um julgamento justo contra essas acusações sem mérito e infundadas.”

A Nissan não quis comentar a decisão da fiança, que veio um dia depois de a nova equipe legal de Ghosn dizer que ele estava esperançoso de ser libertado com a promessa de seu submeter à vigilância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *