Ginasta norte-americano diz ter sido abusado por diretor da federação dos EUA

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 30 de janeiro de 2018 as 12:09, por: CdB

O atleta afirmou ser “uma vítima masculina dos abusos”. Ele acusa George Drew, diretor dos Programas de Ginástica de Trampolim da federação entre 2015 e 2017

Por Redação, com EFE – de Nova York:

O ginasta Andrew Fuller revelou em post publicado no Twitter que sofreu abusos de um dirigente da Federação de Ginástica dos Estados Unidos, menos de uma semana depois de o médico da entidade, Larry Nassar ser condenado a pena mínima de 40 anos de prisão e máxima de 175.

O ginasta Andrew Fuller revelou em post publicado no Twitter que sofreu abusos de um dirigente da Federação de Ginástica dos Estados Unidos

O atleta afirmou ser “uma vítima masculina dos abusos”. Ele acusa George Drew; diretor dos Programas de Ginástica de Trampolim da federação entre 2015 e 2017; de submete-lo a todos os tipos de humilhação, quando o recrutou para viver e treinar com ele, em Michigan.

Fuller relata que, quando pensou em denunciar o abusador, se sentiu “ainda mais traumatizado pelo sistema”, pois teria que conviver com o estigma de ser uma vítima masculina.

Segundo o ginasta, Drew, a quem devia chamar de “papai”, o obrigava a tomar pastilhas, o chamava de “retardado” e o fazia com que o jovem saísse de casa de madrugada, vestindo apenas cueca, para recolher lenha.

No relato, Fuller ainda revelou que, em uma ocasião, foi drogado e, quando acordou, descobriu que havia sido tatuado sem consentimento.

O ginasta conta que deixou a casa de Drew depois que o viu se masturbando, enquanto olhava para outra ginasta, que estava inconsciente, após ter sido dopada.

O diretor deixou o cargo na federação no ano passado. Mas, segundo Fuller denunciou, ainda recebe muitos atletas em casa.

Larry Nassar

O ex-médico da Federação de Ginástica dos Estados Unidos Larry Nassar foi condenado no dia 24 deste mês; por abuso sexual contra dezenas de jovens. A juíza Rosemaire Aquilina condenou Nassar a uma pena de até 175 anos de prisão na Ingham County Circuit, no Estado do Michigan.

– Acabei de assinar sua sentença de morte na prisão – disse a juíza; durante a leitura da sentença. O julgamento ouviu mais de 150 testemunhas, a maioria delas de acusação; sendo várias ex-atletas vítimas do ex-médico em sua passagem pela equipe de ginástica. 

No ano passado, ele já havia sido condenado a 60 anos de prisão por um tribunal federal pelo crime de exploração infantil. O julgamento em Michigan começou na semana passada.

Poucos dias antes do julgamento, a ex-campeã olímpica Simone Biles publicou carta nas redes sociais contando ter sido abusada sexualmente por Nassar. Simone, de 20 anos; conquistou quatro medalhas de ouro e uma de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016; e faz parte do time de ginástica dos Estados Unidos.

Várias outras ginastas americanas já haviam denunciado publicamente o ex-médico. Nomes como Gabby Douglas, Aly Raisman e Mckayla Maroney também contaram que foram abusadas por ele.

Antes de ouvir a condenação, Larry Nassar virou-se para as vítimas presentes no tribunal e disse saber; que “um pedido de desculpas seria pouco em comparação com o trauma emocional e destruição que todas vocês viveram.”

A acusação o chamou de “o mais prolífico abusador sexual de crianças na história”. Ao pronunciar a sentença condenatória; a juíza Rosemaire disse que para ela “foi uma honra condená-lo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *