Goiás diz que cumprirá de imediato decisão de transferir presos

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado domingo, 7 de janeiro de 2018 as 11:24, por: CdB

A transferência efetiva de presos, segundo o governo goiano, no entanto, depende da agilidade do Ministério da Justiça em indicar, a partir desta segunda-feira

Por Redação, com ABr – de Brasília:

Por meio de nota, o governo de Goiás afirmou que pretende cumprir imediatamente a decisão proferida no dia anterior pela Justiça Federal, que determinou a transferência de presos da Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Governo de Goiás diz que cumprirá de imediato decisão de transferir presos

A transferência efetiva de presos, segundo o governo goiano, no entanto; depende da agilidade do Ministério da Justiça em indicar, a partir desta segunda-feira para quais unidades prisionais federais os detentos podem ser encaminhados.

No sábado, o juiz federal Leão Aparecido Alves atendeu a pedido feito pela seção goiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); que em ação civil pública pleiteou a limitação do número de presos na unidade em 400; capacidade máxima prevista para o local, em face de “graves violações de direitos humanos”. O magistrado determinou também a realização de obras para reverter o Estado precário do local.

Gestões

– O Governo de Goiás, por meio da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária; fará junto ao governo federal as gestões necessárias no sentido de; que indique para quais unidades os presos deverão ser transferidos; bem como solicitará integral apoio aos processos de logística e de segurança imprescindíveis ao cumprimento da decisão – informou a administração estadual por meio de nota.

Desde o início do ano, ocorreram três rebeliões no Complexo Prisional de Aparecida de Goiás; duas das quais na Colônia Agrodindustrial. No primeiro motim, nove presos morreram, dois deles decapitados. O Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) anunciou também a realização de mutirões para apreciar pedidos de progressão de regime e liberdade condicional de presos. 

A presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF); ministra Cármen Lúcia, deve visitar o presídio nesta segunda-feira (9).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *