Google planeja reduzir servidores do YouTube na Rússia

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 26 de maio de 2022 as 11:20, por: CdB

Um representante do provedor Radiosvyaz, com sede na cidade russa de Oremburgo, confirmou à RBC que estes servidores foram desligados no dia 19 de maio, tendo a notificação sido recebida poucos dias depois.

Por Redação, com Sputnik – de São Francisco/Moscou

A gigante tecnológica norte-americana notificou diversos provedores de serviços de Internet da Rússia sobre o fim dos contratos com os servidores Google Global Cache.

Google planeja reduzir servidores do Youtube na Rússia, diz mídia

De acordo com o portal RBC, citando fontes no mercado de telecomunicações, estes servidores são usados para acelerar o carregamento das páginas do Google, incluindo o conteúdo do Youtube.

Um representante do provedor Radiosvyaz, com sede na cidade russa de Oremburgo, confirmou à RBC que estes servidores foram desligados no dia 19 de maio, tendo a notificação sido recebida poucos dias depois.

Por sua vez, outra fonte afirmou que o provedor MFTI Telecom também recebeu a mesma notificação. De acordo com a fonte, a ação teria sido motivada pelo fato de a empresa ter sido adicionada à lista negra dos EUA, como parte das sanções.

Apesar das declarações, a Google ainda não confirmou nenhum dos dois casos.

Os representantes da Rostelecom, maior provedor de Internet do país, bem como a MTS e Megafon, afirmaram que os servidores da Google continuam funcionando normalmente.

Ameaças a russos

Roskomnadzor, o Serviço Federal de Vigilância na Área das Comunicações, Tecnologias da Informação e Mass Media, fez um novo pedido oficial ao Google visando o fim da perseguição.

O regulador de mídia da Rússia está exigindo que o Google exclua ameaças a usuários russos em seus serviços.

“Foi detectada uma violação de natureza extremista no trabalho do serviço Google Tradutor. Ao inserir a frase ‘queridos russos’ para tradução, esse serviço sugeriu que os usuários russos a substituíssem por ‘mortos russos'”, explicou a agência.

Ao escrever a mesma frase em outros idiomas, a sugestão não apareceu. Diante do problema, a agência solicitou informações ao Google sobre os motivos dessa mensagem.

“Roskomnadzor exigiu que a empresa dos EUA tomasse medidas abrangentes para evitar situações semelhantes em relação aos usuários russos”, disse o comunicado, enfatizando que o Google cometeu “uma violação de natureza extremista”.

O regulador acrescenta que enviou o respectivo pedido ao Google para tomar imediatamente medidas para excluir ameaças contra usuários russos dos serviços da empresa.

No momento, o serviço do Google não mostra a sugestão em questão.

Essa não é a primeira ação antirrussa da gigante da Internet. No dia 9 de abril, a hospedagem de vídeos do YouTube bloqueou o canal da TV Duma, meio oficial de transmissão do Parlamento russo.

O Google também restringiu a operação de outros canais russos e o acesso a vídeos individuais.

Em resposta, Roskomnadzor proibiu a distribuição de publicidade para a empresa e seus recursos de informação e ordenou que seu mecanismo de busca informasse os usuários sobre violações da lei russa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code