Google deve receber aprovação da UE para comprar Fitbit

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 29 de setembro de 2020 as 13:22, por: CdB

O Google deve conseguir a aprovação da União Europeia para a aquisição da fabricante de dispositivos fitness Fitbit por US$ 2,1 bilhões, após apresentar concessões às autoridades para aliviar preocupações sobre impactos na concorrência, disseram pessoas familiarizadas com o assunto nesta terça-feira.

Por Redação, com Reuters – de Bruxelas/São Francisco/São Paulo

O Google deve conseguir a aprovação da União Europeia para a aquisição da fabricante de dispositivos fitness Fitbit por US$ 2,1 bilhões, após apresentar concessões às autoridades para aliviar preocupações sobre impactos na concorrência, disseram pessoas familiarizadas com o assunto nesta terça-feira.

O Google deve conseguir a aprovação da União Europeia para a aquisição da fabricante de dispositivos fitness Fitbit
O Google deve conseguir a aprovação da União Europeia para a aquisição da fabricante de dispositivos fitness Fitbit

O Google se ofereceu para restringir o uso de dados do Fitbit, reforçando uma oferta anterior à Comissão Europeia, disseram as pessoas.

A empresa também ofereceu tornar mais fácil para os fabricantes rivais de dispositivos vestíveis se conectarem ao Android, oferecendo acesso à interface de programação de aplicativos (API) do sistema operacional, disseram as fontes.

A Comissão, que deve tomar uma decisão sobre o negócio até 23 de dezembro e não publicou detalhes sobre as propostas da empresa, não quis comentar.

O órgão regulador de concorrência da UE agora buscará feedback de rivais e de clientes antes de decidir se aceita as concessões, exige mais, aprova ou bloqueia a aquisição.

Prestadores de serviços de saúde, concorrentes do setor e defensores da privacidade criticam o negócio.

A Fitbit tinha uma participação de 3% no mercado global de dispositivos vestíveis no primeiro trimestre de 2020, ficando atrás da participação de 29,3% da Apple, também atrás da Xiaomi, Samsung e Huawei, mostraram dados da empresa de pesquisa IDC.

Taxa de apps

O Google anunciou na segunda-feira que vai passar a cobrar taxa de 30% sobre itens vendidos por apps em sua loja de aplicativos que atualmente não estão cumprindo com a política da empresa, numa tentativa de rebater críticas que acusam a companhia de privilegiar alguns produtores.

A mudança ocorre após processos abertos pela produtora de videogames Epic Games, que no mês passado acusou Google e Apple de conduta anticompetitiva. Apps vendidos nas lojas das duas empresas precisam usar o sistema de pagamento delas para recolher uma parcela da receita, algo que os desenvolvedores dos aplicativos afirmam se tratar de uma taxação.

O Google afirmou que menos de 3% dos produtores de apps disponibilizados na Play Store venderam produtos digitais nos últimos 12 meses e quase 97% cumpriram com a exigência de usar o sistema de pagamento da loja.

A Match Group está entre as empresas que publicamente disseram que não pagam a taxa de 30% do Google.

Autoridades de defesa da concorrência em vários países estão avaliando o assunto, incluindo na Coreia do Sul, onde vários aplicativos de mídia fizeram queixas a autoridades recentemente.

Os produtores de aplicativos afirmaram que a taxa de 30% é excessiva em relação às tarifas de 2% cobradas por empresas de cartões de crédito. Apple e Google dizem que a cobrança envolve serviços de segurança e marketing fornecidos pelas lojas.

Novos aplicativos terão até 20 de janeiro para usar a ferramenta de pagamento do Google nas vendas enquanto os apps atuais terão até 30 de setembro de 2021 para se adaptarem.

Arco Platform

A Arco Platform anunciou nesta terça-feira a compra da provedora de soluções de aprendizado Studos Software para reforçar seu sistema de ensino.

A Studos foi fundada em 2013 em Santa Catarina e é formada por uma equipe de cerca de 20 pessoas. A empresa fornece a escolas conteúdo e ferramentas de ensino online e físico que afirma serem capazes de reduzir carga de trabalho de professores.

“Em média, 50% dos estudantes que ficaram entre os 10 primeiros colocados no vestibular da Universidade Federal de Santa Catarina usaram a Studos em sua preparação”, afirmou a Arco em comunicado. O valor do negócio não foi informado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *