Governador de Nova York teria dado testes anticovid para familiares

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 25 de março de 2021 as 13:09, por: CdB

 

Segundo os jornais “The New York Times” e “The Washington Post”, no início da pandemia de covid-19, o político favoreceu familiares e “pessoas influentes” ligadas a ele com testes para detectar a doença, em um momento que esses exames ainda eram bastante escassos.

Por Redação, com ANSA – de Nova York

Um novo escândalo com o nome do governador de Nova York, Andrew Cuomo, foi revelado pela imprensa norte-americana na noite de quarta-feira.

Andrew Cuomo está envolvido em novo escândalo político

Segundo os jornais “The New York Times” e “The Washington Post”, no início da pandemia de covid-19, o político favoreceu familiares e “pessoas influentes” ligadas a ele com testes para detectar a doença, em um momento que esses exames ainda eram bastante escassos.

Conforme as publicações, médicos de “alto nível” foram às residências dos parentes e de amigos do governador para coletar as amostras e os mesmos eram verificados com prioridade pelos laboratórios de Nova York. As fontes ainda relataram que profissionais desses locais ficavam, por vezes, fora do horário de serviço para acelerar os resultados desses exames.

Em uma nota enviada para o WP, um porta-voz de Cuomo, Rich Azzopardi, afirmou que é preciso “evitar tentativas insinceras de reescrever o passado”.

“Nos primeiros dias dessa pandemia, quando era muito enfático o rastreamento de pessoas, nós estávamos absolutamente indo muito além para testar as pessoas, incluindo, em alguns casos, ir até às casas das pessoas, e de porta em porta em locais como New Rochelle, para pegar amostras daqueles que acreditávamos terem sido expostos à Covid para identificar casos e tomar medidas preventivas”, diz o documento enviado ao jornal.

Ainda conforme Azzopardi, “entre eles, estão membros de serviços públicos em geral, incluindo legisladores, repórteres, trabalhadores do Estado e suas famílias”. Conforme os dois jornais, o irmão do governador, Chris Cuomo, âncora da emissora CNN, estava entre essas pessoas. Chris testou positivo para a covid-19 no fim de março do ano passado.

Investigações

Andrew Cuomo está no meio de duas investigações, uma legislativa e um da Procuradoria-Geral de Nova York, por conta de acusações graves de assédio sexual de seis ex-assessoras e de ter maquiado o número de mortes em asilos no início da pandemia de coronavírus Sars-CoV-2.

Além disso, membros importantes do Partido Democrata na Câmara dos Representantes e do Senado cobram a sua renúncia à função.

Cuomo afirmou que reconhece que alguns dos seus comentários podem ter sido errados com as ex-funcionárias, mas que não irá renunciar. Sobre os asilos, ele nega as acusações. .