Governadora diz que Jogos de 2020 poderão transformar Tóquio

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019 as 13:30, por: CdB

Da última vez em que a metrópole sediou a Olimpíada, em 1964, o evento deu à cidade a oportunidade de se reformular, descartando uma reputação abalada pela guerra e mostrando uma face moderna ao mundo.        

Por Redação, com Reuters – de Tóquio

A Olimpíada de 2020 pode “abrir caminho para uma nova Tóquio” e, juntamente com a Copa do Mundo de Rúgbi deste ano, deixar um legado semelhante ao dos Jogos de Verão de 1964, disse a governadora da capital japonesa, Yuriko Koike, nesta segunda-feira.

Governadora de Tóquio, Yuriko Koike, durante cerimônia na cidade

– Estes dois grandes eventos servirão como uma prancha de salto para transformar nossa cidade – afirmou ela.

– Este ano de 2019 será essencial para tornar estes Jogos um sucesso e abrir caminho para uma nova Tóquio.

– Mas a métrica para o sucesso não será limitada só à competição; queremos liderar o Japão para além de 2020, mudar a maneira como Tóquio pensa e transformar nossa sociedade – disse.

Da última vez em que a metrópole sediou a Olimpíada, em 1964, o evento deu à cidade a oportunidade de se reformular, descartando uma reputação abalada pela guerra e mostrando uma face moderna ao mundo.

Tóquio

Um boom imobiliário transformou Tóquio antes dos Jogos, o trem de alta velocidade Shinkansen começou a operar e uma classe média crescente passou a comprar geladeiras e outros utensílios domésticos, incluindo televisões para assistir à competição.

Desta vez a herança pode ser de uma natureza menos palpável.

– Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio anteriores de 1964 deixaram um legado de infraestrutura, como a Via Expressa Metropolitana de Tóquio e a rede do trem-bala de Shinkansen – disse Yuriko, ex-ministra da Defesa e do Meio Ambiente.

– Pretendo que os Jogos de Tóquio de 2020 deixem um legado mais intangível. Também pretendo que os Jogos de 2020 deixem um legado cultural e que os próprios Jogos sejam uma celebração da cultura.

Yuriko está concentrada em tornar Tóquio mais diversa e também vem pleiteando uma série de programas ambientais para que a cidade seja uma líder na luta contra a mudança climática.

Ela também vê a Paralimpíada como uma chance de tornar Tóquio, notoriamente difícil para a circulação de cidadãos e visitantes portadores de necessidades especiais, mais acessível.

– Acredito que a Paralimpíada, em particular, será um evento essencial que determinará o sucesso dos Jogos de Tóquio de 2020 – afirmou.

– Esta será a primeira vez em que uma cidade sedia sua segunda Paralimpíada de verão, e como a cidade que tem esta honra Tóquio pretende liderar o país no fortalecimento de padrões livres de barreiras nas acomodações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *