Governo aprova mais de 60 defensivos agrícolas

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de setembro de 2019 as 13:02, por: CdB

De acordo com o Ministério da Agricultura, o governo incluiu também sete novos registros e 56 genéricos.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

O governo aprovou o registro de 63 defensivos agrícolas, sendo sete deles novos produtos e 56 genéricos, que têm como base ingredientes ativos já presentes em outros produtos presentes no mercado, disse o Ministério da Agricultura nesta terça-feira.

Dentre os recém-aprovados constam produto técnico (para uso industrial) e formulado (pronto para uso na lavoura) à base do ingrediente ativo Fluopriram

Com a publicação dos registros pelo do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária, no Diário Oficial desta terça-feira, chega a 325 o número de liberações de produtos em 2019, destacou a pasta em comunicado.

Dentre os recém-aprovados constam produto técnico (para uso industrial) e formulado (pronto para uso na lavoura) à base do ingrediente ativo Fluopriram, que pode ser usado para combater nematoides nas culturas de batata, café, cana, milho e soja, além de fungos nas culturas de algodão, feijão, e soja.

“O produto é uma molécula com atividades fungicida e nematicida altamente eficaz e estava há 10 anos na fila esperando a análise do pleito de registro”, afirmou o ministério, destacando que “diversas medidas” foram adotadas “nos últimos anos” para acelerar a análise dos defensivos.

Também foi registrado um clone do herbicida florpirauxifen-benzil, que pode ser utilizado para o controle de plantas daninhas na cultura do arroz, além de produto técnico à base do ingrediente ativo Dinotefuram, que futuramente poderá ser usado nas lavouras para combate a insetos sugadores como percevejos e mosca branca.

Outro dos registros publicados nesta terça-feira é de produtos formulados à base de Sulfoxaflor e Lambda-cialotrina— no caso, foi liberado o registro de um produto e de outros dois idênticos com esses ingredientes ativos, destinados ao controle de percevejo nas culturas de soja, milho e arroz.

“O uso desse defensivo deverá seguir as orientações estabelecidas pelo Ibama para minimizar o risco para as abelhas, como a restrição de aplicação em períodos de floração das culturas, o estabelecimento de dosagens máximas do produto e de distâncias mínimas de aplicação”, ressaltou o ministério.

Exportações

O Ministério da Agricultura anunciou nesta terça-feira um acordo comercial com a Arábia Saudita para ampliação das exportações de produtos do agronegócio brasileiro. A ministra Tereza Cristina se reuniu com representante da autoridade sanitária saudita, em Riade.

Foram autorizadas as exportações de castanhas, derivados de ovos e a ampliação do acesso a frutas brasileiras. Somados, os produtos representam um mercado potencial superior a US$ 2 bilhões.

Hisham bin Saad Al Jadhey, CEO da autoridade sanitária saudita, destacou que o país importa 80% dos alimentos que consome, provenientes de mais de 150 países. Nesse sentido, ele falou sobre a importância do acordo com o Brasil na garantia da segurança alimentar do país e ressaltou a qualidade dos produtos brasileiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *