Governo e caminhoneiros chegam a proposta ainda para ser aprovada

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 24 de maio de 2018 as 21:40, por: CdB

O governo propôs aos caminhoneiros bancar uma redução de 10% no preço do diesel por 30 dias. Imaginam, assim, encerrar o movimento que gera desabastecimento em várias cidades.

 

Por Redação – de Brasília

 

A reunião entre integrantes da equipe governamental e os líderes de movimentos dos caminhoneiros, que produzem uma das mais efetivas manifestações nas últimas décadas, entrou pela noite e produziu um compromisso do governo com os empresários do setor de transportes no qual acertam uma trégua pontual, de 30 dias, com os manifestantes. Os termos ainda precisam ser aprovados, nesta sexta-feira, em assembleias em todos os Estados do país.

Padilha, chefe da Casa Civil, participou da negociação com os caminhoneiros
Padilha, chefe da Casa Civil, participou da negociação com os caminhoneiros

O governo propôs aos caminhoneiros, que nesta quinta-feira completaram o quarto dia de paralisações no país, bancar uma redução de 10% no preço do diesel por 30 dias. Imaginam, assim, encerrar o movimento “que gera desabastecimento em várias cidades”; disse o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS). Ele estava presente em reunião do governo do presidente de facto, Michel Temer, com caminhoneiros no Planalto.

Os aumentos passarão a ser a cada 30 dias e não mais diariamente. Terra disse também que os caminhoneiros reivindicaram ainda que o Senado aprove proposta; que já passou na Câmara dos Deputados. Esta, portanto, zera o PIS/Cofins sobre o diesel até o fim do ano. Eles querem a aprovação de projeto de lei que estabelece preço mínimo do frete.

O deputado disse que, se a categoria tiver garantia de que isso será feito, poderá voltar ao trabalho na sexta-feira ou no sábado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *