Governo investe em segurança pública

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 18 de outubro de 2002 as 00:01, por: CdB

O governo federal vai liberar mais dinheiro para a área de segurança pública no país. Os recursos no valor de R$ 1,7 milhão são emprestados do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e serão destinados, principalmente, ao fortalecimento do serviço de inteligência da Polícia Federal. Convênio neste sentido foi assinado hoje pelos ministros da Justiça, Paulo de Tarso Ribeiro, e do Planejamento, Guilherme Dias.

Desse montante, R$ 1 milhão vai para a Academia Nacional da Polícia Federal, como parte da estratégia de investimento na capacitação de policiais e na gestão da segurança pública. “Não se faz segurança pública sem uma inteligência por trás”, afirmou Paulo de Tarso. A primeira turma de agentes, cerca de 400, foi formada recentemente, e mais 500 devem passar pela Academia até o final do ano.

“A melhoria de resultados na área de segurança pública não se trata apenas – apesar de indispensável – da construção de penitenciárias e aquisição de veículos, mas também da melhoria das condições de gestão”, defendeu o ministro do Planejamento. Paulo de Tarso também destacou a importância dessa questão no combate à criminalidade. “A gestão da segurança pública não pode ser algo episódico, precisa ser, cada vez mais, tecnicamente fundamentada, através de ações consistentes com objetivos previamente traçados”, disse.

De acordo com Dias, o governo pretende ainda intensificar a liberação de recursos para os Estados, visando a “modernização da gestão pública”. Até o final do ano, mais R$ 200 milhões serão repassados aos Estados pelo Plano Nacional de Segurança Pública. “O objetivo é melhorar a disponibilidade e a oferta de recursos humanos, em particular, do efetivo da Polícia Federal e também para aquelas ações em parceria com os Estados”, explicou Guilherme Dias.

A outra parte da verba será aplicada no aperfeiçoamento do banco de dados criminais, o Infoseg. Segundo o secretário Nacional de Segurança Pública, José Vicente da Silva, o Infoseg permitirá a consulta de informações como mandados de prisão, porte de arma, cadastro de veículos, por parte das autoridades policiais e da Justiça, agilizando as investigações e processos.

“É o fortalecimento de uma infra-estrutura dentro desta ótica da inteligência”, explicou Paulo de Tarso. “A liberação desses recursos vai permitir transformar o que talvez pudéssemos chamar, de uma maneira jocosa, de um bando de dados em um banco de dados”, acrescentou.