Governo Trump é processado por mudanças em normas de nutrição nas escolas

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 4 de abril de 2019 as 14:07, por: CdB

O Departamento de Agricultura reduziu os padrões nutricionais para o sódio e os produtos integrais que tinham sido estabelecidos por lei.

Por Redação, com EFE e Reuters – de Washington

Uma coalizão de procuradores-gerais liderada por Nova York processou nesta quarta-feira o governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por ter relaxado importantes normas federais de nutrição nos cafés da manhã e almoços que são servidos a 30 milhões de estudantes no país.

Governo dos EUA é processado por mudanças em normas de nutrição nas escolas

De acordo com a ação, apresentada no tribunal federal para o distrito sul de Nova York e anunciada pela procuradora-geral deste Estado, Letitia James, o Departamento de Agricultura reduziu os padrões nutricionais para o sódio e os produtos integrais que tinham sido estabelecidos por lei.

Trump recua de ameaça de fechar fronteira

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recuou na terça-feira da ameaça de fechar a fronteira do país com o México para combater a imigração ilegal, em meio à pressão de companhias que temiam que tal medida pudesse causar caos em suas cadeias de fornecimento.

Na última sexta-feira, Trump ameaçou fechar a fronteira nesta semana caso o México não agisse. Ele repetiu a ameaça na terça, mas disse ainda não ter tomado uma decisão: “Vamos ver o que acontece nos próximos dias.”

O fechamento da fronteira poderia comprometer milhões de travessias legais e bilhões de dólares em transações comerciais. Nos últimos dias, montadoras de veículos têm advertido privadamente a Casa Branca de que a medida levaria à inatividade das fábricas de automóveis dos EUA dentro de dias, uma vez que elas dependem da rápida entrega de peças fabricadas no México.

Trump elogiou nesta terça-feira os esforços tomados pelo México para conter a imigração ilegal de cidadãos da América Central em sua própria fronteira sul.

– O México, como vocês sabem, a partir de ontem começou a apreender muitas pessoas em sua fronteira sul vindo de Honduras e Guatemala e de El Salvador e eles realmente estão apreendendo milhares de pessoas – disse Trump a repórteres.

Na segunda-feira, o governo mexicano disse que ajudaria a regular o fluxo de imigrantes da América Central que está atravessando o seu país. Não ficou claro se houve um aumento no número de apreensões.

– Eles dizem que vão detê-los. Vamos ver. Eles têm o poder de detê-los, eles têm as leis para detê-los – disse Trump.

Trump tem feito do combate à imigração ilegal do México e da América Central uma parte fundamental de sua agenda, mas fechar uma das fronteiras mais utilizadas do mundo pode ser demais, até para muitos de seus colegas republicanos.

O líder republicano do Senado, Mitch McConnell, se juntou a democratas ao advertir Trump contra a medida.

– Fechar a fronteira teria um impacto econômico potencialmente catastrófico em nosso país e eu espero que nós não façamos esse tipo de coisa – disse McConnell a jornalistas no Congresso na terça-feira.

Um grupo representando General Motors, Ford Motor e Fiat Chrysler disse em comunicado que “qualquer ação que interromper o comércio na fronteira seria prejudicial para a economia dos EUA e, em particular, para a indústria automotiva”.

Dezenas de fábricas norte-americanas de veículos, motores e de autopeças poderiam parar de funcionar devido à falta de componentes alguns dias ou semanas após o fechamento da fronteira. A medida também impediria que milhares de veículos fabricados no México chegassem a concessionárias dos EUA.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *