Grécia sepulta mortos nos incêndios que atingiram o país

Arquivado em: Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 28 de julho de 2018 as 15:09, por: CdB

O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, assumiu responsabilidade política na sexta-feira pela tragédia, conforme líderes da oposição disseram que o governo havia fracassado em salvaguardar vidas.

 

Por Redação, com Reuters – de Atenas

A Grécia começará a enterrar neste fim de semana as vítimas de um devastador incêndio florestal que matou ao menos 88 pessoas perto de Atenas e gerou críticas à maneira que o governo lidou com o desastre.

Moradora de uma das áreas atingidas pelas chamas observa o triste resultado
Moradora de uma das áreas atingidas pelas chamas observa o triste resultado

O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, assumiu responsabilidade política na sexta-feira pela tragédia, conforme líderes da oposição disseram que o governo havia fracassado em salvaguardar vidas.

No domingo, três membros de uma mesma família devem ser enterrados no primeiro funeral conhecido desde que as chamas se agravaram na última segunda-feira no vilarejo à beira-mar de Mati, a 30 quilômetros de Atenas.

“Nós iremos dizer nosso adeus final aos nossos amados Grigoris, Evita e Andreas… vítimas trágicas em Mati”, informou a família Fytrou em comunicado publicado pela agência grega de notícias Athens, pedindo para a mídia não comparecer.

Abraçados

A buscas por desaparecidos continuam e muitas pessoas permanecem em hospitais, enquanto nomes de mais vítimas foram revelados.

As gêmeas de nove anos Sofia e Vasiliki Filippopoulou, cujas fotos foram amplamente divulgadas, tiveram suas mortes confirmadas, relatou neste sábado a emissora estatal ERT.

Testes de DNA indicaram que as meninas e seus avós morreram no incêndio em Mati.
O carro incendiado do avô foi localizado do lado de fora de um terreno onde 26 pessoas morreram, com algumas das vítimas encontradas abraçadas, relatou a ERT.

Alívio

Chuvas intensas atingiram a região neste sábado, gerando temores de que o trabalho de equipes de resgate e esforços de moradores para salvar o que pudessem das chamas poderiam ser dificultados.

O governo anunciou uma longa lista de medidas de alívio e prometeu atacar problemas de décadas, incluindo construções residenciais desorganizadas e sem licenças, para minimizar o risco de um novo desastre e para diminuir a irritação pública.

Um vice-prefeito de Maratona, que administra parte da área afetada, se tornou neste sábado a primeira autoridade a renunciar por conta do incêndio florestal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *