Greta Thunberg pede que líderes mundiais ouçam jovens ativistas

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 21 de janeiro de 2020 as 10:24, por: CdB

Entre os “heróis do clima” celebrados no Fórum deste ano está o jovem cientista Fionn Ferreira, que desenvolveu um modo de prevenir que microplásticos cheguem aos oceanos.

Por Redação, com Reuters e DW – de Davos

A sueca Greta Thunberg, que inspirou uma nova geração de ativistas a comparecer ao Fórum Econômico Mundial deste ano, pediu nesta terça-feira que líderes mundiais ouçam a juventude.

Ativista Greta Thunberg fala em painel do 50º Fórum Econômico Mundial, em Davos, Suíça
Ativista Greta Thunberg fala em painel do 50º Fórum Econômico Mundial, em Davos, Suíça

– Não sou uma pessoa que pode reclamar sobre não ser ouvida – disse ela, despertando risadas da plateia em um painel intitulado “Construindo um caminho sustentável para um futuro coletivo”, no primeiro dia da reunião anual do fórum.

– A ciência e a voz dos jovens não são o centro da conversa, mas precisam ser – acrescentou.

Muitos ativistas viajaram a Davos, na Suíça, seguindo os passos de Greta.

Clima

Entre os “heróis do clima” celebrados no Fórum deste ano está o jovem cientista Fionn Ferreira, que desenvolveu um modo de prevenir que microplásticos cheguem aos oceanos.

A lista também inclui a sul-africana Ayakha Melithafa, de 17 anos, e a canadense Autum Peltier, que luta pela preservação da água desde seus 8 anos.

– É sobre nós e as futuras gerações e aqueles que são afetados hoje – disse Greta. “Precisamos trazer a ciência para a conversa”.

Espanha declara “emergência climática”

O novo governo da Espanha declarou “emergência climática” nesta terça-feira, dando um primeiro passo formal para promulgar medidas ambiciosas para combater as mudanças do clima.

A declaração afirma que o governo socialista enviará ao Parlamento, dentro de cem dias, sua proposta de legislação climática. As metas coincidem com as da União Europeia, incluindo a redução das emissões líquidas de carbono para zero até 2050.

O governo de coalizão da Espanha quer que 95% da eletricidade do país seja produzida a partir de fontes renováveis ​​até 2040. O plano prevê também a eliminação da poluição por ônibus e caminhões e a transformação da agricultura numa prática neutra em carbono.

Os detalhes do plano devem ser divulgados quando a proposta for enviada para aprovação parlamentar.

Com a declaração de “emergência climática”, a Espanha se coloca entre os primeiros países a aprovarem tal medida, de cunho principalmente simbólico. Entre os governos no mundo a implementarem declarações do tipo estão Irlanda, Canadá e França.

Em novembro passado, o Parlamento Europeu aprovou uma resolução declarando “emergência climática”, tornando a Europa o primeiro continente a adotar a medida.

Além disso, mais de duas dezenas de cidades ao redor do planeta declararam “emergência climática” nos últimos anos.

Cientistas dizem que a década que acabou foi de longe a mais quente já registrada na Terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *