Grupos palestinos pedem anulação dos Acordos de Oslo

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 13 de setembro de 2018 as 12:25, por: CdB

Os Acordos de Oslo estabeleceram o reconhecimento mútuo da OLP e de Israel e propiciaram a formação da Autoridade Nacional Palestina (ANP) como entidade de autogoverno anterior a um futuro Estado palestino independente

Por Redação, com EFE – de Gaza

Grupos palestinos pediram nesta quinta-feira a anulação dos Acordos de Oslo, assinados entre a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) e Israel, sob auspício americano, e culminados na Declaração de Princípios, assinada há 25 anos em Washington (Estados Unidos).

Grupos palestinos pedem em Gaza anulação dos Acordos de Oslo

Movimentos como Hamas, Movimento da Jihad Islâmica na Palestina, Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP) e Frente Democrática para a Libertação da Palestina (FDLP) fizeram o pedido durante a conferência “União e resistência são nossa opção”, organizada na Cidade de Gaza.

– Os Acordos de Oslo trouxeram resultados catastróficos aos palestinos e sua causa e permitiram que Israel promovesse a ocupação militar nos territórios palestinos – disse Khalil al-Hayya, membro diretório político de Hamas.

Ele pediu à Autoridade Nacional Palestina na Cisjordânia que se retire do acordo e declare que os resultados “estão cancelados”. Segundo Hayya, os palestinos “pagaram um tóxico e doloroso preço” por essa assinatura.

O integrante do Hamas fez um apelo a todos os grupos palestinos para um “acordo de união nacional completo, que inclua a reconstrução da classe política palestina e salve os esforços de resistir à ocupação”.

Os Acordos de Oslo estabeleceram o reconhecimento mútuo da OLP e de Israel e propiciaram a formação da Autoridade Nacional Palestina (ANP) como entidade de autogoverno anterior a um futuro Estado palestino independente. No entanto, 25 anos depois, esse documento não derivou em um acordo de paz definitivo e nem no estabelecimento de um Estado palestino independente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *