Guatemala proíbe entrada de pessoas de El Salvador

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 13 de março de 2020 as 14:16, por: CdB

Guatemala e El Salvador são dois países da América Central sem registros, até o momento, de casos de contaminação pelo novo coronavírus.

Por Redação, com ABr – da Cidade da Guatemala

Guatemala e El Salvador são dois países da América Central sem registros, até o momento, de casos de contaminação pelo novo coronavírus. Ambos fazem fronteira com países que já têm casos confirmados, como Honduras e México, e decidiram tomar medidas extremas contra a propagação de Covid – 19, como a proibição de entrada de cidadãos vizinhos, por exemplo.

País diz que medida foi tomada por precaução e reciprocidade
País diz que medida foi tomada por precaução e reciprocidade

Na quinta-feira, o governo da Guatemala anunciou diversas restrições, entre elas a de entrada de salvadorenhos por via aérea, marítima ou terrestre no país, enquanto dure o estado de calamidade pública, vigente até o dia 5 de abril.

A decisão foi por “prevenção e reciprocidade à decisão do governo salvadorenho”, que havia anunciado um dia antes (11) “a proibição de ingresso ao país de todo estrangeiro por 21 dias como medida de prevenção contra a pandemia do novo coronavírus”.

Um comunicado emitido hoje pela Direção Geral de Migração de El Salvador pede que as pessoas evitem viajar para o país.

“Todos os salvadorenhos, residentes estrangeiros e diplomatas que entrarem no país serão colocados em quarentena preventiva por 30 dias. Portanto, para os compatriotas que estão no exterior e planejam vir a El Salvador, o mais aconselhável é cancelar ou adiar a viagem para evitar transtornos enquanto a quarentena nacional de 21 dias decretada pelo Presidente Nayib Bukele estiver ativa, devido a pandemia de coronavírus”, diz a nota.

Ainda de acordo com o documento, no momento há 350 pessoas em quarentena preventiva. O número deve aumentar bastante, com a chegada de vários voos na noite de hoje.

“Desde que entrou em vigor (a quarentena nacional) e até esta tarde, cerca de 120 pessoas que chegaram ao aeroporto provenientes de vários países, principalmente dos Estados Unidos, decidiram embarcar em outros voos e recusaram a entrada em El Salvador para evitar se submeter à quarentena de 30 dias”, afirma a nota.

Guatemala

A Guatemala, por sua vez, anunciou que não permitirá a entrada de pessoas que estiveram ou transitaram em países com grande presença do vírus, como China, Coreia do Sul, Irã e todos os países da Europa, além dos cidadãos de El Salvador.

– Está proibida a entrada de todos os cidadãos europeus. O diretor da Aeronáutica Civil se comunicará com todas as companhias aéreas para indicar que não vamos permitir que nenhum cidadão europeu entre – afirmou o ministro da Saúde, Hugo Monroy.

Já os passageiros provenientes de México, Honduras, Panamá e Costa Rica, países onde há casos confirmados, serão colocados em quarentena automaticamente.

Um comunicado do governo especifica que, “para o corpo diplomático credenciado na Guatemala, bem como para os cidadãos guatemaltecos que viajam desses países e desejam entrar, eles devem cumprir uma quarentena domiciliar, se não apresentarem sintomas, ou quarentena hospitalar, se for considerado caso suspeito”.

El Salvador

El Salvador foi o primeiro país da América Central a declarar quarentena nacional. As medidas tomadas pelo governo são: a suspensão de aulas (de todos os tipos, incluindo esportivas) por 21 dias; fica proibida a aglomeração de mais de 500 pessoas, incluindo shows e partidas de futebol; os estrangeiros não podem ingressar no país, apenas diplomatas; fica decretada quarentena obrigatória de 30 dias para todos aqueles que entrarem no território salvadorenho por qualquer meio.

– Assim como outros países tomaram medidas depois de ter casos positivos, decidimos colocar em quarentena o território nacional antes de confirmar os casos – afirmou o presidente.

Plano de Contingência

Belize, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá e República Dominicana firmaram um acordo para formular um plano regional de contingência para o novo coronavírus na América Central. Somente o presidente salvadorenho, Nayib Bukele, não assinou o acordo por razões que não foram explicadas.

Na declaração, intitulada “América Central unida contra o coronavírus”, os governantes pediram aos ministros da Saúde da região um plano de contingência regional destinado a complementar os esforços nacionais de prevenção, contenção e tratamento de Covid-19. Além disso, as autoridades devem adotar ações para garantir o fornecimento de medicamentos e outros materiais necessários para o tratamento da pandemia.

Os ministros da Economia foram orientados a tomarem medidas para garantir a disponibilidade de recursos para o financiamento do plano de contingência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *