Guerra não é opção contra o Irã, diz ministro alemão

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quarta-feira, 10 de novembro de 2004 as 09:23, por: CdB

A guerra não é uma opção contra o Irã e ninguém espera que o impasse sobre o programa nuclear do país islâmico leve a uma “confrontação como a do Iraque”, disse o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Joschka Fischer, nesta quarta-feira.

Mas o ministro acrescentou em uma entrevista à revista alemã Stern que havia “grande preocupação” sobre o programa nuclear e o de mísseis do Irã, dizendo que a aquisição de armas nucleares representa uma grave ameaça para a região e para a Europa.

Os “Três Grandes” da União Européia – Alemanha, França e Grã-Bretanha – lutaram por mais de um ano para convencer o Irã a abandonar seu programa de enriquecimento de urânio. Segundo Washington, o programa será usado para produzir armas nucleares.

– Não acho que estamos tomando o rumo de um confronto como o do Iraque.Acredito que esteja claro para ambas as partes envolvidas que a guerra não é uma opção -disse Fischer.

O ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Jack Straw, também descartou nesta semana que os Estados Unidos estavam se preparando para resolver o impasse com força militar.

Os Estados Unidos, que acusam o Irã de desenvolver armas nucleares para encobrir um programa de energia atômica, quer que o Irã se reporte ao Conselho de Segurança da ONU por esconder seu programa de enriquecimento por 18 anos.

O Irã nega querer armas nucleares e diz que suas ambições nucleares limitam-se à geração de energia.

– Um programa nuclear do Irã teria consequências inesperadas em uma das regiões mais perigosas do mundo. Isso ameaçaria não só Israel, mas também a Europa – disse Fischer.