Guga: Não tem coisa pior do que perder em Roland Garros

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado segunda-feira, 2 de junho de 2003 as 18:13, por: CdB

O ex-número 1 do mundo, tricampeão de Roland Garros e brasileiro Gustavo Kuerten foi eliminado do torneio pelo espanhol Tommy Robredo, que venceu por 3 sets a 1, parciais de 6/4, 1/6, 7/6 (7/2) e 6/4.

Robredo enfrenta agora nas quartas-de-final seu compatriota Albert Costa, que defende o título do torneio e eliminou Arnauld Clément nesta segunda-feira.

– Tive a chance no primeiro set, com 3/0 e bola para fazer 4/0, para deslanchar e dominar a partida, mas errei uma bola fácil, ele voltou no set e tudo mudou no jogo – disse Guga.

Deixei escapar a chance e depois daí fiquei sempre atrás no jogo, não arriscando tanto quanto eu gosto, fugindo das minhas características e ele me surpreendendo com a variação de jogo e com a direita. Quando eu tentava alguma coisa diferente não saía perfeito e ele, do outro lado, estava tendo sucesso em tudo – completou o brasileiro.

Guga dessa vez não reclamou “da cabeça”, embora admita que não tenha jogado de acordo com suas características. Para ele, o jogo contra Robredo “foi decidido nos detalhes”.

– Claro que para mim não tem coisa pior do que perder em Roland Garros, tanto que com 5/4 contra no quarto set estava tentando dar um jeito de o jogo não acabar. Mas sou um cara que sei lidar muito bem com os momentos difíceis, gosto de competir e enquanto não ganhar outro torneio no saibro não vou deixar os caras à vontade – garantiu Kuerten.

Um golpe de Robredo foi talvez o principal fator do desequilíbrio de Kuerten na partida. O drop-shot, ou “deixadinha”.

O jovem espanhol usou, abusou e humilhou o brasileiro com deixadas. Foram pelo menos dez pontos conseguidos desta maneira. Sem arranque, Guga chegou atrasado sempre. O máximo que conseguia era tocar a bola com o ‘bico’ de sua raquete e ver a bolinha morrendo na rede.

No último game do jogo, Robredo se livrou de pressão ao abrir 40/0 com duas dessas deixadas. Guga chegou, enfim, à essa bola duas vezes, mas suas respostas foram óbvias e fáceis para o espanhol.

De qualquer maneira, o brasileiro conseguiu definir seus pontos no torneio, já que também caiu nas oitavas no ano passado, quando voltava de cirurgia delicada no quadril direito.

– Agora não adianta chorar sobre o leite derramado. Fiz dois grandes jogos, tinha totais condições de jogar bem e estar nas quartas-de-finais, e apesar da temporada de saibro não ter sido como eu esperava, saio tranquilo, sabendo que estou jogando bem, com objetivo de melhorar ainda mais e no ano que vem passar das oitavas de Roland Garros – disse Guga.