Hackers da SolarWinds ‘afetam’ governos estaduais e municipais dos EUA

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 24 de dezembro de 2020 as 11:26, por: CdB

De acordo com informações, centenas de empresas e instituições federais do governo federal dos EUA foram alvos de um ataque cibernético massivo, que segundo a mídia norte-americana foi executado por um grupo de hackers estrangeiro.

Por Redação, com Sputnik – de Washington

De acordo com informações, centenas de empresas e instituições federais do governo federal dos EUA foram alvos de um ataque cibernético massivo, que segundo a mídia norte-americana foi executado por um grupo de hackers estrangeiro.

Hackers da SolarWinds 'afetam' governos estaduais e municipais dos EUA, afirma agência cibernética
Hackers da SolarWinds ‘afetam’ governos estaduais e municipais dos EUA, afirma agência cibernética

Na quarta-feira, a Agência de Cibersegurança e Infraestrutura (CISA, na sigla em inglês) dos EUA afirmou que os hackers da SolarWinds, empresa de gerenciamento de Tecnologia da Informação (TI), estão “afetando” governos federal, estaduais e municipais dos Estados Unidos.

Segundo declaração publicada no site da CISA, os autores estavam “afetando redes empresariais dos governos federal, estaduais e municipais, bem como entidades de infraestrutura crítica e outras organizações do setor privado”.

No último dia 19, o Escritório Federal da Alemanha para a Segurança da Informação (BSI) afirmou que algumas empresas e instituições na Alemanha usaram o software desenvolvido pela SolarWinds, nas quais os clientes, incluindo as agências do governo norte-americano, foram atingidos por um ataque hacker massivo.

Funcionários do governo

Funcionários do governo, incluindo o secretário de Estado Mike Pompeo, afirmaram que os perpetradores possuem ligações aos serviços de informações russos, mas não forneceram quaisquer provas.

Na semana passada, Trump questionou as acusações feitas por integrantes da sua própria administração, como o secretário de Estado Mike Pompeo, de que o Kremlin estaria por trás das tentativas de espionar agências federais dos EUA.

O presidente-eleito Joe Biden também acusou a Rússia de conduzir os ataques cibernéticos, adicionando que estava considerando impor sanções contra Moscou. Por sua vez, a Rússia refutou as alegações.

O governo dos Estados Unidos confirmou, no dia 13 de dezembro, que suas redes de computadores foram alvos de um ataque cibernético em grande escala via software da empresa SolarWinds.

Até agora a ação afetou algumas das agências federais dos EUA, incluindo os Departamentos de Comércio e Tesouro, Defesa, Segurança Interna e também o Departamento de Estado.